Assine Já
domingo, 24 de outubro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Municípios da região pretendem manter aplicação da segunda dose da AstraZeneca

Ministério da Saúde e Governo do estado liberaram a substituição pela Pfizer devido à falta do imunizante da Oxford

19 agosto 2021 - 10h31Por Cristiane Zotich

A constante falta de vacina contra a Covid-19 deixou de ser novidade em várias cidades do país. Toda semana algum município anuncia a suspensão temporária da imunização devido à falta do imunizante. E a situação parece que é ainda pior quando se trata das doses da AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford. Tanto que o Ministério da Saúde começou a semana divulgando nota técnica em que libera os municípios a aplicarem a vacina da Pfizer como substituto para a AstraZeneca. Na segunda-feira (16) o governo do estado do Rio de Janeiro se pronunciou favorável à mudança no caso de o estado não receber quantidade suficiente desse imunizante. Já os municípios da Região dos Lagos informaram que, até o fechamento desta edição, não há qualquer recomendação para utilização da Pfizer na aplicação da segunda dose às pessoas que tomaram a primeira da AstraZeneca.

Em Iguaba Grande, a Prefeitura confirmou que o estoque da vacina produzida pela Oxford “está baixo e menor do que o necessário de acordo com a programação”. Informou, ainda, que na última semana, o Ministério da Saúde não forneceu a quantidade de segunda dose referente à primeira remessa. Para tentar minimizar o impacto, “e não ter muitas pendências em relação ao atraso entre doses”, a Secretaria de Saúde iguabense precisou recorrer a um empréstimo de doses da Astrazeneca junto ao município de São Pedro da Aldeia.

“Esta semana não aplicamos a primeira dose do imunizante. Referente à segunda dose, iniciamos a semana com 180 em estoque”. Sobre a aplicação da Pfizer como substituta da AstraZeneca, o município informou que não recebeu essa orientação do coordenador estadual, e que ainda não está recebendo a segunda dose do imunizante Pfizer.

Em Iguaba a população imunizável é de cerca de 28.184 pessoas. Destas, até domingo (15), 15.694 receberam a primeira dose de todas as vacinas, 570 pessoas receberam dose única, e 10.731 finalizaram a imunização com a segunda dose.

Em Arraial do Cabo, a semana começou com estoque de 750 doses da vacina AstraZeneca apenas para a segunda dose. Esse quantitativo, segundo a Prefeitura, garante atendimento até a próxima semana para grupo comorbidades.

Sobre a substituição das doses para segunda aplicação, o município cabista informou que não segue o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19 ou as pactuação da CIB. “Até o momento nosso município não tem essa liberação pela Secretaria Estadual de Saúde. A previsão de utilizar a Pfizer como segunda dose ocorrerá na ausência da distribuição da vacina AstraZeneca, conforme orientação da Secretaria de Saúde Estadual”. Em Arraial, até o começo da semana 18.557 pessoas foram imunizadas com a primeira dose, e 7.388 com a segunda.

Em Cabo Frio a Prefeitura de Cabo Frio informou que possui doses suficientes para atender o público relativo ao calendário da aplicação da primeira dose divulgado desta semana, que são pessoas de 22 a 27 anos, e para atender o público da segunda aplicação da vacina contra a Covid-19. Para este mês estão previstas 12.613 pessoas para receberem a segunda dose da vacina AstraZeneca. A Secretaria de Saúde esclarece que esse número vai aumentando conforme avança a vacinação no município.

Até o momento, foram aplicadas no município cabo-friense 151.469 doses. Destas, 106.298 pessoas receberam a primeira dose, 40.734 pessoas receberam a segunda dose e 4.437 pessoas receberam a vacina de dose única.

Sobre a aplicação da segunda dose de vacina de laboratório diferente da primeira aplicação, a Prefeitura de Cabo Frio informou que aguarda o informe técnico enviado pelo Ministério da Saúde determinando a situação mencionada.

“Esclarece, ainda, que toda a dose recebida vem com orientações do Ministério da Saúde, em Nota Técnica informando para quais grupos e quais aplicações deverão ser utilizadas. O município segue as determinações para que não sofra sanções, até mesmo, por parte do Ministério Público, que vem acompanhando de perto esta campanha”.

Embora não tenha respondido à solicitação da Folha, a Prefeitura de Araruama divulgou em suas redes sociais que está com toda a logística pronta para alcançar o feito de vacinar 100% da população, a partir de 18 anos, com a primeira dose contra a Covid-19, até o final desta semana.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.