Assine Já
quinta, 22 de outubro de 2020
Região dos Lagos
23ºmax
18ºmin
Coluna

Inteiros ou metade?

25 setembro 2020 - 16h04

Ele nasceu, foi criado, evoluiu...Antes de nós. Explodiu-se, germinou-se, expandiu-se em cores, formas, cheiros, ares, pólens, gases, alimentos, belezas e sensações.

E nos esperou...

Depois, chegamos. Vislumbramos, colhemos, gostamos, comemos, respiramos, nadamos, desfrutamos, inserimo-nos, tornamo-nos parte!

Bastava. Era muito. Era tudo. Era tanto!

Mas nós - a parte chamada racional e inteligente dessa relação – não nos bastamos. Gananciosos, ultrajantes, desmedidos; exploramos, sujamos, desmatamos, poluímos, não regamos, não plantamos, não cuidamos da outra parte, sem ao menos perceber que estávamos nela como ela em nós, que erámos uma parte de um todo natural.

Ele, resistente, digno, insistente; lutou, tentou, se reinventou...Diariamente.

Mas foi adoecendo, escasseando, desequilibrando-se, entristecendo, chorando. Os danos por essa relação unilateral e tantas vezes abusiva, atingia-nos, era, somos um todo, lembra? Mas não ligamos, não demos muita importância, abstraímos, achamos que éramos independentes, superiores, que podíamos escapar. Nos perdemos do meio, quebramo-nos em tantas partes...Tudo começou a ruminar, desconstituir, desabar.

Contudo, alguns melhores de nós, iniciamos a luta, levantamos a bandeira, achamos novas maneiras: somar, replantar, limpar, estudar, pesquisar, conhecer, reaproveitar, restaurar, reusar, reutilizar. Sustentar e Preservar. Tantos verbos assim, porque urgiam/urgem ações de fato.

É uma luta contínua, permanente, mas não inglória! De tão belo e melhor que a gente, ele doa-nos um novo sim. Nos aceita de volta a fim de recomeçarmos a conexão quase perdida. Afinal somos um só! Não é fácil para quem luta lidar com a ignorância, lidar com queimadas, árvores arrancadas, águas poluídas e a mentalidade desumana de que a natureza, por não ser humana, é outra esfera. Ela é parte de nós, nós somos parte dela.

O nosso meio ambiental, torna-nos, em verdade, humanamente inteiros.

Muitos de nós buscamos o tempo perdido, desperdiçado. Outros, destroem mais.

Mais recente, confinados, talvez estivéssemos dando o tempo e o espaço que faltasse. Ele vem ressurgindo, reestruturando-se, reerguendo-se, melhorando essa parte do universal que somos. Mas ressurgem também fogo, lixo e devastação. Somos, nós, os humanos, nos queimando, nos sujando, nos extinguindo... A parte inteligente é a que não pensa, não evolui, não cuida. A parte inteligente é a que não sente. Somos perdoados todos os dias pela outra parte, mas nossos erros recaem sobre nós mesmos.

Estamos matando o meio ambiente. Estamos morrendo porque somos o meio ambiente.