Assine Já
segunda, 02 de agosto de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46523 Óbitos: 1889
Confirmados Óbitos
Araruama 11454 362
Armação dos Búzios 5517 58
Arraial do Cabo 1588 87
Cabo Frio 12706 765
Iguaba Grande 4804 116
São Pedro da Aldeia 6205 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
CABO FRIO

Adriano sanciona lei que cria Codescaf

Empresa de economia mista, Companhia de Desenvolvimento passa a existir oficialmente

08 junho 2020 - 17h33Por Redação

O prefeito de Cabo Frio Adriano Moreno (DEM) acaba de sancionar a lei que cria a Companhia de Desenvolvimento do Município de Cabo Frio (Codescaf). A publicação oficial foi feita neste sábado (6), após a aprovação do projeto do Poder Executivo na Câmara dos Vereadores, na última terça-feira (2).

De acordo com a Prefeitura, a empresa de economia mista (público-privada) será vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, com o objetivo de fomentar a atividade econômica e industrial no município, incluindo o Polo de Desenvolvimento Econômico, que será instalado numa área de quase dois milhões de metros quadrados, que já foi desapropriada pelo município, próxima ao aeroporto. O espaço terá setores de logística, indústria sustentável e inovação tecnológica.

“Além de uma conquista de Cabo Frio, a Codescaf se torna um ganho para toda a Região dos Lagos, uma vez que poderemos realizar projetos conjuntos, atendendo assim uma demanda e trazendo o desenvolvimento de forma regional. As ações ganharão proporção maior uma vez que não ficarão limitadas apenas ao nosso município. A conquista é nossa, mas o ganho é para toda a Região dos Lagos”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Felipe Pereira, para as mídias oficiais da Prefeitura.

A criação da nova empresa, contudo, foi motivo de questionamento, inclusive na Câmara, onde foi aprovada com os votos contrários dos vereadores Rafael Peçanha (Cidadania) e Vaguinho Simão (Republicanos). Uma emenda de Vaguinho, que prevê a prestação de contas da Codescaf aos vereadores, foi aprovada e anexada ao teto principal; contudo, outra, de Peçanha, que desvincularia a empresa da criação do Polo de Desenvolvimento, foi arquivada.

O líder da oposição chegou a criticar um possível esvaziamento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e um possível aumento nos gastos municipais, o que foi negado pelo prefeito.

O capital inicial da companhia será de R$ 5 milhões, mas, de acordo com a Prefeitura, o valor não precisa ser, necessariamente, em dinheiro. A entrada de capital privado vai ser feito por meio de um fundo de investimento registrado no Conselho de Valores Mobiliários (CVM), entidade que regula e fiscaliza o mercado financeiro.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.