Assine Já
segunda, 29 de novembro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Geral

Comissão vota contas de Marquinho no próximo dia 18

Relator afirma que não fechou questão sobre parecer e classificou defesa de ex-prefeito como “consistente”

30 maio 2019 - 09h10
Comissão vota contas de Marquinho no próximo dia 18

A Comissão de Finanças, Orçamento e Alienação (CFOA) da Câmara Municipal vota no próximo dia 18 o parecer sobre as contas da prefeitura no exercício financeiro de 2017, na gestão do então Marquinho Mendes (MDB). O anúncio foi feito ontem, pelo vereador Vinícius Corrêa (PP), membro da comissão e relator do processo, durante uma audiência pública para debater o assunto realizada no plenário da Câmara. Na prática, a comissão vai decidir se acompanha ou não o parecer prévio contrário do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ).

Vinícius disse que todos os trâmites exigidos pelo Regimento Interno da Casa e que a votação das contas no plenário, por todos os vereadores, deve ocorrer dentro do prazo previsto de 90 dias corridos, a contar da leitura do parecer do TCE-RJ, feita em 16 de abril. Isso significa que a votação no plenário deve ocorrer até 15 de julho, uma segunda-feira. Como na data não há sessão, a votação acontecerá até o dia 11 do mesmo mês.

Sobre a análise das contas propriamente ditas, o relator do processo disse ainda não decidiu se vai seguir o relatório do TCE-RJ e elogiou a defesa apresentada pelo ex-prefeito, que classificou de “consistente” e “bem elaborada”.

– Não estou com a minha convicção formada. Essa audiência pública foi muito importante para a gente poder construir essa convicção. Eu tenho estudado o processo, mas estava esperando a audiência pública para formatar o parecer. A defesa [de Marquinho] está bem elaborada, consistente, e vai ser levada em consideração, com certeza. É o amplo direito de defesa – comentou o relator.

A audiência contou com representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Conselho Regional de Contabilidade e praticamente todos os vereadores, que chegaram aos poucos e fizeram poucas perguntas e intervenções. Durante a audiência, Vinícius informou que as 29 impropriedades apontadas pelo TCE já foram sanadas ainda no governo de Marquinho ou ainda estão sendo na atual gestão, de Adriano Moreno (Rede). Com isso, o único obstáculo para o ex-prefeito seria a abertura de crédito adicional de R$ 5.299.689,57 sem que tenha sido especificada a fonte dos recursos.

– O Tribunal quis deixar bem claro que o município abriu crédito adicional com base na expectativa de obter a arrecadação, mas isso não ocorreu, infringindo o artigo 167 da Constituição Federal – disse o contador da Câmara, Vando Couto.

Procurado para comentar o assunto, Marquinho disse que mantém a confiança e afirmou que os vereadores “não tem motivos” para reprovar as suas contas.

– A única irregularidade que existe já foi explicada. Tanto é que o procurador do próprio Tribunal discordou parcialmente do parecer do TCE-RJ – comentou o ex-prefeito.