Assine Já
terça, 01 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
Coluna

Coronavírus e negócios. Estamos vencendo? Acredito que sim

06 novembro 2020 - 09h23

Amigos leitores, após uma ausência neste importante espaço,  volto com o objetivo de manter  nossas  mensagens  realistas e   otimismo no  presente e no  futuro de nossos negócios, mas acima de tudo com uma analise em foco regional  no enfrentamento da pandemia causada pelo coronavírus, que vivenciamos há cerca de oito meses e tem exigido de nós empresários um esforço sobre-humano. 

Nas minhas falas anteriores abordei as mais variadas maneiras de encararmos o que estava por vir. E buscando um caminho de diálogo entre o poder público e a iniciativa privada, valorizando as questões sanitárias, sem descuidar da economia e a sobrevivência de nossos negócios. 

 De uma forma didática, busco aqui orientar a classe empresarial na busca de caminhos e soluções.  Aqui, desde o início da pandemia sugeri aos pequenos negócios a procurarem negociar em primeira ordem com os empresários locais, a organização e planejamento nas questões trabalhistas, uma vez que o Governo Federal entrou com programas de ajuda para manutenção dos empregos. E aqui também uma orientei na utilização de recursos oriundos do Pronampe (admitimos que nem todos conseguiram acessar esses recursos), mas o objetivo sempre foi de orientar quanto ao momento de utilizar uma linha de crédito. 

Aqui, antecipei a necessidade de estarmos atentos às novas modalidades de mercado que surgiriam. Gerando despesas em novos formatos   de negócios, exigindo contratação de mão de obra para o atendimento das novas demandas, custos operacionais com higienização e adequação aos protocolos e regramentos sanitários. 

Na minha visão, sempre realística, confesso que em diversos momentos vislumbrei cenários onde alguns negócios não conseguiriam se manter, mas, a partir do recuo das autoridades com as medidas de flexibilização, tenho hoje uma visão otimista. E entendo que estamos nos superando, passando razoavelmente bem por esses oito meses de pandemia. Sendo que aproximadamente quatro meses com muitos setores da economia 100% paralisadas. 

Neste período, presenciei vários empresários reconhecerem alguns erros cometidos ao longo dos anos de atividade empresarial, que foram evidenciados e corrigidos em decorrência da pandemia, o que trouxe melhorias nas relações entre cliente e empresa.

O país gerou 313 mil empregos em setembro/2020 e esta é a maior quantidade de empregos gerados em único mês, desde 1990. Antes, a maior quantidade havia ocorrido em abril de 2010, quando foram gerados 305 mil empregos a mais que demissões. Acreditamos que a nossa região não ficou diferente do restante do país.

Outra importante informação: empresas tiveram taxas de crescimento médio superior ao PIB nos últimos 20 anos.
Vivemos em uma região litorânea, que a partir deste mês, com o aumento da temperatura, favorece em todos os sentidos as atividades empresariais.  Precisamos aproveitar o momento de alta temporada sem deixarmos o aprendizado acumulado durante o doloroso período de isolamento mais extremo.  

Que nesta temporada a atividade comercial se mantenha em alta, que a experiência seja mantida e os protocolos realmente respeitados para que não sejam impostas novas medidas sanitárias que representem perda de receita ou interrupção na atividade.  

Estamos chegando num período de maior fluxo de vendas, economia aquecida, com a possibilidade de recuperação dos negócios, mas que fique bem vivo em nossas ações que estamos no encerramento de uma fase e não simplesmente no fim de tudo como se pensou no primeiro momento. Nessas eleições não acredite em quem te promete emprego público. Acredite naquele que fará a iniciativa privada ter sempre trabalho para você escolher.