Vídeo de ataque a porca gera polêmica nas redes sociais

Imagens foram gravadas por vizinhos de protetora animal, que se defende

Publicado em 08/11/2018 às 09:54

O vídeo de uma porca sendo agredida por cães na casa de uma protetora animal em Cabo Frio viralizou ontem na internet. O registro feito por vizinhos mostra a porca sofrendo diversas mordidas e sangrando. As imagens foram gravadas para dentro da casa da protetora Caroline Midori, que foi candidata a vereadora nas últimas eleições municipais e ocupou o cargo de superintendente de Proteção Animal da Prefeitura de Cabo Frio por um ano e meio. Caroline se defende das acusações de vizinhos, afirma que a divulgação do vídeo teria o objetivo de prejudicá-la e diz que o caso foi “claramente uma fatalidade”.

As imagens foram gravadas pelo servidor público Carlos Ernesto Lopes, que mora na casa ao lado à de Caroline no Condomínio dos Pássaros. Eles, inclusive, trabalharam juntos na gestão passada da Prefeitura, durante o governo Marquinho Mendes, ela como superintendente de Proteção Animal e ele como superintendente de Cultura.

– Quando ela mudou para essa casa, fez um chiqueiro nos fundos que incomodava muito. Fiz uma denúncia ao condomínio por causa do mal cheiro e do barulho. Isso tem uns seis meses. Na época ela tinha uns seis cachorros, agora tem muito mais. Os animais sempre brigaram muito mas dessa vez foi bem pior. Foi uma carnificina o que aconteceu aqui na segunda-feira. A imagem mostra como a porca ficou. Os cachorros iam comer ela viva, só pararam quando nós (vizinhos) fomos pro muro e começamos a jogar coisas neles. Aí a porca veio pra perto da gente pra se proteger. O marido dela chegou uma hora depois e ficou apavorado com a cena – diz Carlos Ernesto.

Caroline Midori nega o histórico de agressões entre os animais. Ela afirma que a briga registrada entre eles nunca havia ocorrido antes, e afirma que a divulgação do vídeo foi “maldade para me sacanear”. Na versão dela, os vizinhos, sentindo-se incomodados com a quantidade de animais que ela cria – no momento são 12 cachorros e a porca Clotilde –, estariam fazendo de tudo para que ela deixe o imóvel, o que deve ocorrer ainda esta semana, de acordo com ela.

– Todo mundo quer que eu saia porque são muitos cachorros e isso incomoda. A imobiliária que me alugou a casa já tinha me repassado reclamações de vizinhos por causa do barulho dos latidos. Eu entendo que incomoda e já estava buscando um lugar com mais espaço. Só que não precisavam usar isso contra mim dessa forma baixa – alega Midori.

– Eu resgatei a Clotilde porque ela sofria maus tratos. Desde que ela era bebê nos apegamos muito. Eu não queria doá-la porque o destino dos porcos, a gente sabe, é o abate, então acabei ficando com ela. Ela é tratada igual um bebê, fica dentro de casa, tem o edredom dela, tudo certinho. Sempre se deu muito bem com os cachorros, nunca teve nada disso (brigas). O problema é que, dos 12 cães que estão comigo, apenas três são meus, os demais estão de passagem aguardando adoção, e três deles, que são filhotes, chegaram recentemente. Acredito que o problema começou com esses que chegaram há pouco tempo e os outros acabaram agredindo também – continua ela.

A porca Clotilde teve ferimentos espalhados por todo o corpo, mas as orelhas foram os pontos mais atingidos e ela chegou a perder uma das orelhas. Caroline afirma ter ficado arrasada, conta que chamou um veterinário no mesmo dia e garante estar tomando todos os cuidados necessários com a recuperação do animal. Ela diz que a porca está ficando dentro de casa e os cachorros isolados no quintal, sem risco de um novo contato entre eles.

Sobre a versão de Caroline de que a divulgação das imagens teria o objetivo de fazer com que ela saia da casa, Carlos Ernesto nega.

– Não tem nada disso. Imagem é tudo e justificativas são falácias. E as imagens estão aí para quem quiser ver – rebate ele.

Perguntada se teme perder a porca Clotilde por alguma denúncia de maus tratos, Caroline Midori diz que não tem essa preocupação.

– Isso não, porque tenho fotos, vídeos e inúmeras testemunhas de como a Clotilde sempre foi muito bem cuidada e protegida. O veterinário não veio cuidar dela só agora, ele cuida dela desde que a Clotilde era um bebê, deu todas as vacinas, os remédios. Ela tem de tudo. O que me deixa triste e chateada é que eles (vizinhos) sabem que o que aconteceu aqui foi claramente uma fatalidade, um acidente – defende-se Caroline Midori.

Veja também

Compartilhe:  

COMENTÁRIOS

EXPEDIENTE

Rodrigo Cabral

Diretor

Fernanda Carriço

Chefe de Reportagem

fernanda.carrico@folhadoslagos.com

Redação, Administração, Publicidade e Assinatura

Avenida Francisco Mendes 226, loja 06, Centro - Cabo Frio - RJ

Propriedade da Sophia Editora Eireli - ME.

CONTATO

Redação

folhadoslagos@ig.com.br redacao@folhadoslagos.com
(22) 2644-4698 - Ramal 206
(22) 9971-7556

Publicidade

(22) 2644-4698 - Ramal 215
(22) 9971-7841

Central do Assinante

(22) 2644-4698
(22) 9971-7841