Assine Já
quarta, 27 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22908 Óbitos: 767
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2989 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6139 264
Iguaba Grande 2043 50
São Pedro da Aldeia 3225 107
Saquarema 2294 117
Últimas notícias sobre a COVID-19
HOSPITAL DE CAMPANHA

Prefeitura de Cabo Frio diz que custo do Hospital Unilagos é de R$ 2,6 milhões

Após resposta do governo, vereador Rafael Peçanha divulga gastos com unidade de campanha por quatro meses

04 junho 2020 - 17h57Por Rodrigo Branco

O vereador Rafael Peçanha (Cidadania) apresentou os documentos recebidos da Prefeitura de Cabo Frio sobre os gastos com a estrutura do Hospital de Campanha Unilagos, unidade de referência para tratamento de pacientes com Covid-19. Ao longo de quatro meses, as despesas totalizam R$ 2.667.300,00 (R$ 666,8 mil por mês). Cópias dos documentos foram divulgadas nas redes sociais do vereador na tarde desta quinta-feira (4).

De acordo com as informações apresentadas pela Prefeitura ao líder da oposição, os gastos com aluguel de equipamentos são de R$ 489 mil. Já o aluguel de ambulâncias vai consumir R$ 322,2 mil. Também foram divulgados os custos com transporte de pequenas cargas (R$ 218,8mil); aluguel de gerador (R$ 20,7 mil iniciais que podem chegar a R$ 41,4 mil) e aluguel de roupa de cama e acessórios para UTI (R$ 41,4 mil). Uma segunda contratação de serviços de pequenas cargas provocará despesas de R$ 54,7 mil. Por fim, o pagamento de funcionários vai custar R$ 1,5 milhão aos cofres municipais.

Em discurso na tribuna, há duas semanas, Rafael Peçanha chegou a ameaçar uma ida à Justiça para obter os dados, mas recuou após o vereador Miguel Alencar (DEM), que vinha afastado da tarefa de articulação política do governo, intermediar o diálogo entre a Câmara e a Prefeitura. As informações também vinham sendo cobradas há mais de um mês pela Comissão Especial de Saúde do Legislativo. 

Após o envio de ofícios e requerimentos em vão, na semana retrasada, o presidente da Câmara, Luis Geraldo (Republicanos) e a presidente da comissão, Letícia Jotta (Pros), deram um ultimato ao governo, para receber a documentação, sob pena de também recorrerem à Justiça para obter os dados junto à Prefeitura. Até então, o máximo que haviam obtido foi uma cópia do decreto que oficializou a requisição administrativa do hospital.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.