Assine Já
domingo, 11 de abril de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
19ºmin
Alerj
Alerj REC
Coluna

Panorama

25 janeiro 2021 - 12h24

ESFINGE

O que realmente deseja Rodrigo Maia? Constantemente tenta se posicionar como um antagonista ao presidente Jair Bolsonaro e um articulador para que em 2022 a centro-direita se torne viável e que leve a esquerda dividida no bico. Mas como sustentar a personagem com a eficientíssima marca de mais de cinquenta pedidos de impeachment contra Bolsonaro cuidadosamente engavetados durante sua passagem pela presidência da Câmara?

OLHO NO BOI

Dilma foi apeada do poder por um parlamento organizado em torno de um projeto de poder. Desnecessário lembrar que partes desse projeto estão ou em penitenciárias ou no andamento dos ritos processuais. Tudo transformado em um espetáculo de mídia. Nesse show, deram espaços generosos às forças que hoje se tornaram protagonistas. Atualmente, por mais que as razões sejam abundantes e das mais variadas naturezas, o parlamento não vai, com quase a mesma certeza das leis da física, apear também o atual presidente. Razão simples: quando não se tem o que por no lugar do boi, é melhor deixá-lo sangrar na travessia do rio. Aposta de risco... CAIPIM

GOURMET

Como pode um povo que se aglomera voluntariamente em praias, barzinhos, festinhas e coisas do gênero, que compram milagres, acreditam em placebos, ameaças ideológicas da década de 50, ter a castimonia de opinar sobre uma vacina eficiente em todos os cenários? Beira o ridículo. Além de desumano com as vítimas e com quem sofre com as aglomerações no transporte e no trabalho por não ter outra opção digna, mostra o abismo onde nos metemos. Uma boa vacina em massa estanca o caráter pandêmico especialmente nos países onde governantes e parte da população jogaram a prevenção às favas.

O AGRO É POP

Há uma face do agronegócio no Brasil que tem se destacado pela capacidade produtiva sustentável e com as mais avançadas tecnologias aplicadas em pequenas, médias e grandes unidades. Não é aquela turma das queimadas, da bala, do garimpo, das terras invadidas, do voto certo em troca de um certo apoio. Os resultados novamente batem recorde. Entretanto, se observamos bem, o país se desindustrializa em cadeia, não tem outro projeto senão a precarização do trabalho como atrativo e pede reformas que, se não forem bem feitas, rolará o país de vez pela ribanceira.

A TROMPA DE TRUMP

A insurreição provocada por Trump nos Estados Unidos já ecoou no Brasil como presságio para 2022. Um país onde há o assédio ideológico às forças de segurança, onde comprar armamentos será mais fácil (e desejável...) do que comprar livros, com um pasto verdejante de ignorância, preconceitos e desinteligência e as cada vez mais sonoras falas de ruptura institucional, tem tudo para provocar a tempestade perfeita que nem os EUA conseguirão fazer “melhor”