Assine Já
segunda, 25 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 22503 Óbitos: 742
Confirmados Óbitos
Araruama 5567 166
Armação dos Búzios 2960 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 6068 247
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 2221 110
Últimas notícias sobre a COVID-19
Cabo Frio

“Não tem plano B, nem C, tem plano MM”, garante Marquinho Mendes

Ele afirmou que pretende esperar até o fim do prazo legal para levar a candidatura adiante

03 setembro 2019 - 20h07
“Não tem plano B, nem C, tem plano MM”, garante Marquinho Mendes

Em Cabo Frio, a reprovação nas contas é também uma das pedras no sapato do ex-prefeito Marquinho Mendes para o sonho de voltar para a cadeira de prefeito, de onde foi tirado pela Justiça no ano passado. Se logo após a derrota na Câmara o fez jogar a toalha e admitir que apoiaria outro nome, em pouco menos de dois meses, Marquinho mudou o tom do discurso e voltou a mostrar a confiança habitual. 


– Sou pré-candidatíssimo à prefeitura. Trabalho para que eu possa fazer o que tive capacidade de fazer em um ano e três meses de governo. Não existe plano B, C ou D. Tem plano MM. Sou médico, não sou advogado. Confio no meu corpo jurídico para resolver isso – afirmou.


Marquinho afirmou que pretende esperar até o fim do prazo legal para levar a candidatura adiante. Enquanto isso, são falados os nomes dos vereadores Aquiles Barreto (SD), e Luis Geraldo (PRB), além da própria mulher de Marquinho, Kamilla Mendes, para eventualmente substitui-lo na chapa. 
– Vamos obedecer o prazo que a legislação eleitoral determina – concluiu.


Antes mesmo da reprovação das contas pela Câmara, o ex-prefeito já estava impedido de se candidatar por oito anos, por decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), no começo de março.  


Ele foi condenado por abuso de poder econômico na eleições de 2016. A decisão deu provimento a um recurso do Ministério Público Eleitoral. A Corte entendeu que Marquinho ofereceu dinheiro e cargos no futuro governo a candidatos a vereador pela coligação adversária.