Assine Já
segunda, 18 de outubro de 2021
Região dos Lagos
21ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52181 Óbitos: 2123
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6500 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14677 858
Iguaba Grande 5464 140
São Pedro da Aldeia 6968 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
INSISTÊNCIA

Em meio à pandemia, Adriano faz movimentação favorável às OSs em Cabo Frio

Prefeito veta revogação feita em fevereiro; por falta de quórum, votação na Câmara fica para semana que vem

05 maio 2020 - 17h43Por Rodrigo Branco

A Prefeitura de Cabo Frio não desistiu da ideia de incorporar organizações sociais (OSs) e organizações da sociedade civil de interesse privado (Oscips) na gestão municipal, em especial, na área de Saúde. Quase três meses depois de a Câmara ter revogado a lei municipal nº 3.148, que abre caminho para uma mudança na administração, sob a alegação de que a versão sancionada não continha uma emenda feita pelo Legislativo, o assunto volta à baila, em plena pandemia do novo coronavírus.

O veto do prefeito Adriano Moreno ao projeto de revogação, aprovado por unanimidade em 18 de fevereiro, estava na pauta da sessão desta terça-feira (5), mas não foi colocada em votação por falta de quórum. Apenas os vereadores Vinicius Corrêa (PP); Letícia Jotta (Pros) e Silvio Blau Blau (PTB) estavam em plenário. Desta forma, a matéria voltará na sessão da próxima terça-feira (12), quando o veto poderá ser derrubado.

A tentativa de reacender o assunto coloca lenha na fogueira em um momento de desgaste entre Executivo e Legislativo. Nas últimas sessões, alguns vereadores, inclusive o presidente da Casa, Luis Geraldo (Republicanos) criticaram duramente a demora do governo municipal nas ações sociais, sobretudo, para a entrega de cestas básicas às famílias mais atingidas economicamente com a pandemia de Covid-19.

Relembre o caso – Em entrevista à Folha dos Lagos, em fevereiro, Adriano já havia falado sobre a possibilidade de vetar o projeto que revoga a lei. Na ocasião, a medida ainda estava sendo estudada pela Procuradoria da Prefeitura. No fim do ano passado, o Executivo havia conseguido na Câmara Municipal a aprovação de um projeto de lei que permite a gestão da Saúde por organizações sociais (OSs). Em sincronia, trocou o secretário da pasta pela quarta vez. Entrou o ex-deputado estadual e policial reformado Iranildo Campos, saiu o médico Carlos Ernesto Dornellas.

Somente depois de repercussão negativa, no entanto, a Câmara Municipal de Cabo Frio voltou atrás. No dia 18 de fevereiro, revogou a lei que permite a gestão de setores da administração pública por organizações sociais (OSs) e organizações da sociedade civil de interesse privado (Oscips).

Atenção: A reprodução deste conteúdo em outros veículos de comunicação e/ou para fins comerciais não é permitida. Para produzi-lo, a Folha dos Lagos investe recursos em estrutura e jornalismo. Por favor, entre em contato: [email protected]

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.