Assine Já
quarta, 27 de outubro de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52450 Óbitos: 2151
Confirmados Óbitos
Araruama 12382 441
Armação dos Búzios 6530 73
Arraial do Cabo 1736 93
Cabo Frio 14792 880
Iguaba Grande 5486 140
São Pedro da Aldeia 6993 289
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
NA PRESSÃO

Pelo segundo dia seguido, funcionários da Comsercaf protestam por verbas indenizatórias

Grupo saiu da sede da companhia até a porta da Prefeitura, onde foram recebidos, mas não tiveram respostas

11 novembro 2020 - 17h07Por Redação

Pelo segundo dia consecutivo, coletores da Companhia de Serviços de Cabo Frio (Comsercaf) protestaram contra a falta de pagamento das verbas indenizatórias após o fim do vínculo dos contratados com a empresa, a partir da terceirização dos serviços, no começo de outubro. No entanto, o contrato de trabalho era válido até o fim do ano. 

Por causa disso, um grupo de funcionários paralisou os serviços na manhã desta quarta-feira (11) e partiu em marcha, da sede da empresa, no Monte Alegre, passando pela Avenida Wilson Mendes e por ruas do Centro, até chegar à sede da Prefeitura de Cabo Frio.

Em frente à sede do governo, o grupo gritou pelo pagamento dos direitos trabalhistas. Além da rescisão contratual, os coletores querem o pagamento dos dias vencidos e dos dias trabalhados. Apesar da presença da PM e da Guarda Municipal, não foram registrados incidentes.

Apesar de uma comissão de trabalhadores ter sido recebida pelo governo, não houve solução para o problema. O principal argumento da Prefeitura é a falta de recursos para fazer o pagamento. Nesta quarta, o governo municipal afirmou que teve bloqueado pela Justiça o valor de R$ 3,6 milhões de repasses do ICMS feitos pelo Governo do Estado.

Em nota, a Prefeitura de Cabo Frio informa que os representantes da categoria foram recebidos pelo secretário de Governo, Matheus Mônica, que esclareceu que o município já entrou na Justiça para tentar a liberação da verba bloqueada.

Com a terceirização dos serviços de varrição e de coleta de lixo, entre outros, para a empresa Ecomix, por R$ 29 milhões, cerca de 500 contratados dispensados não foram reaproveitados pela firma. Nesta terça (10), os trabalhadores protestaram na Boca do Mato. No último dia 29, uma manifestação na sede da Comsercaf acabou em confusão e registro de boletim de ocorrência na delegacia.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.