Assine Já
terça, 14 de julho de 2020
Região dos Lagos
23ºmax
15ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos: 310 Confirmados: 3455 Óbitos: 200
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 279 8
Arraial do Cabo 9 88 11
Cabo Frio X 1037 64
Iguaba Grande 14 257 20
São Pedro da Aldeia 4 537 20
Saquarema 9 599 35
Últimas notícias sobre a COVID-19
naldinho

Foragido da Justiça de São Paulo é preso na 126ª DP, onde tentava registrar extravio de documento

Naldinho, como é conhecido, diz que queria ter conta em banco e CPF 

19 novembro 2014 - 18h24Por Texto e foto: Rosana Rodrigues
Foragido da Justiça de São Paulo é preso na 126ª DP, onde tentava registrar extravio de documento

Foragido da Justiça da comarca de Praia Grande, no litoral Paulista, desde 2004, Magnaldo Gomes de Souza, o Naldinho, 41 anos, acusado de assassinar um policial militar naquele município, foi na tarde desta quarta-feira (21) na 126ª DP (Cabo Frio), onde tentava registrar extravio de seus documentos.  De acordo com a determinação da titular da delegacia, Flávia Monteiro de Barros, os funcionários são orientados a levantar a ficha criminal de todas as pessoas que realizam este tipo de ocorrência e durante a consulta aos dados do acusado, o oficial de cartório conseguiu levantar um mandado de prisão preventiva por homicídio qualificado praticado em 2003.

Morador da favela de Antares, no bairro de Santa Cruz, Zona Norte do Rio, Naldinho não se conformava com a prisão e afirmava a todo tempo que já havia cumprido a pena no estado de Minas Gerais. O acusado estava passeando na casa de um primo no Jardim Esperança. Ele comentou que o homicídio ocorreu numa troca de tiros em Praia Grande, onde liderava o tráfico de drogas:

- Era ele ou eu. O policial ‘deu mole’ não tive alternativa. Gostava de cocaína, tanto de produzir como de vender – disse o acusado.

Naldinho afirmou ainda que tinha um ótimo currículo e já havia trabalhado seis anos como auxiliar administrativo na Prefeitura de Praia Grande:

- Tenho um ótimo currículo, estudei e sou auxiliar de contabilidade. Quero trabalhar como qualquer outras pessoas e preciso de documentos.  Não tenho CPF, quero ter conta em banco e não consigo retirá-los. Tenho um quiosque em Copacabana e sou trabalhador. Esse sistema está equivocado – comentou.

Por meio da Rede Infoseg, cujo sistema reúne informações de segurança pública dos órgãos de fiscalização do Brasil com o objetivo de integrar os dados de Segurança Pública, Justiça e Fiscalização, incluindo os relativos a inquéritos, processos, de armas de fogo e mandados de prisão, o serventuário conseguiu localizar o mandado.

Magnaldo será levado para o Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro, onde ficará à disposição da Justiça do estado de São Paulo.