Assine Já
domingo, 11 de abril de 2021
Região dos Lagos
30ºmax
19ºmin
Alerj
Alerj REC
TEMPO REAL Confirmados: 32434 Óbitos: 1183
Confirmados Óbitos
Araruama 8059 252
Armação dos Búzios 4018 49
Arraial do Cabo 1143 56
Cabo Frio 8778 419
Iguaba Grande 3162 76
São Pedro da Aldeia 4462 178
Saquarema 2812 153
Últimas notícias sobre a COVID-19
beach soccer

Beach Soccer Cabo Frio disputa Carioca buscando surpreender

Terceiro colocado no ano passado, Cabo Frio busca ao menos repetir a façanha

12 março 2019 - 18h57Por Redação I Foto: Divulgação (Léo Borges)
Beach Soccer Cabo Frio disputa Carioca buscando surpreender

O Beach Soccer Cabo Frio vai disputar o Campeonato Carioca da modalidade que começa nesta quarta-feira (13), na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. A competição reúne oito times divididos em dois grupos de quatro, com os dois melhores se classificando para as semifinais.

O Cabo Frio caiu no grupo A, ao lado de Botafogo, América e Raiz da Bola. Já no grupo B estarão Flamengo, Vasco, Boavista e Canoas. No ano passado o time fez bonito e terminou na terceira colocação. O objetivo é novamente representar bem a cidade.

– Expectativa é muito boa, mesmo sabendo do grau de dificuldade que vamos ter. Times de camisa com grandes jogadores, o Flamengo por exemplo contratou o Lorenç, melhor jogador do mundo. Vai ser um nível muito alto, participamos ano passado, e sabemos que não será fácil. Mas estamos preparados também, treinamos bastante, e se Deus quiser vamos representar bem a nossa cidade – disse o treinador Anderson “Carapicu”, que comentou ainda sobre seus rivais.

– Grupo difícil. Conhecemos o time do Botafogo, tem jogadores de Seleção Brasileira e outros com nível de Seleção também. América é um time de tradição que sempre vem forte e o Donos da Bola temos um pouco de conhecimento, mas temos boas informações. É uma chave difícil e vamos lutar para tentar a classificação.

O primeiro duelo dos cabo-frienses é contra o Botafogo, nesta quarta-feira, às 13h10. Na quinta é a vez do Raiz da Bola, às 9h40. Na sexta-feira fecha a primeira fase contra o América, às 16h40. Para Carapicu, não terá jogo fácil.

– O jogo contra o Botafogo é jogo de erro zero. Sabemos da grandiosidade dele, foram vice-campeões ano passado, tem um timaço. Temos que errar muito pouco pra conseguirmos êxito na partida. Vamos marcar forte e jogar em velocidade nos contra-ataques pra tentar surpreender a equipe deles.

O time vem treinando há bastante tempo para essa competição. Mesmo não sendo remunerados, os jogadores treinam todos os dias na praia do Forte na hora do almoço de seus empregos, entre 12h a 13h30. Tudo diante de um sonho de representar a cidade na modalidade e quem sabe ser convocado pra Seleção Brasileira que disputará o Mundial este ano.

– Assim como ano passado a importância vai desde o extra-campo. Seguimos treinando ha um ano. Ficamos em terceiro lugar no ano passado e fomos a surpresa da competição, queremos ser esse ano novamente.  Queremos mais, muito mais, é um ano de Copa do Mundo de Beach Soccer no Paraguai e penso que o professor Gilberto é um cara sensato e gosta de dar oportunidades. Todo atleta sonha em defender teu país seja a modalidade que for e nós não somos diferentes – disse Henrique, fundador do Beach Soccer Cabo Frio.

Leia Também

Geral
Índice de confiança dos pequenos negócios atinge patamar da recessão de 2014, apontam Sebrae e FGV
Sondagem mensal realizada pelo Sebrae e pela FGV detecta que recrudescimento da pandemia e interrupção temporária do auxílio emergencial contribuíram para esse resultado
Carlos Minc sobre Dunas do Peró: "Não pode haver incompatibilidade entre turismo e preservação"
DIÁLOGO
Carlos Minc sobre Dunas do Peró: "Não pode haver incompatibilidade entre turismo e preservação"
Risco Covid: Baixada Litorânea sai da bandeira roxa (risco muito alto) para vermelha (risco alto)
Coronavírus
Risco Covid: Baixada Litorânea sai da bandeira roxa (risco muito alto) para vermelha (risco alto)
Pandemia: 80% dos profissionais da linha de frente tiveram problema de saúde mental no último ano
Coronavírus
Pandemia: 80% dos profissionais da linha de frente tiveram problema de saúde mental no último ano