Assine Já
quinta, 25 de fevereiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26207 Óbitos: 900
Confirmados Óbitos
Araruama 6686 181
Armação dos Búzios 3181 32
Arraial do Cabo 844 37
Cabo Frio 7163 342
Iguaba Grande 2472 54
São Pedro da Aldeia 3486 126
Saquarema 2375 128
Últimas notícias sobre a COVID-19
INJEÇÃO FINANCEIRA

Costa do Sol terá eventos com ajuda federal após a pandemia

Os recursos são do Ministério do Turismo, que serão requisitados através da Plataforma Mais Brasil

14 fevereiro 2021 - 18h00Por Redação

Após a pandemia, os 13 municípios da Costa do Sol poderão contar com recursos federais a fundo perdido para promover eventos tradicionais.  A previsão foi feita pelo empresário Marco Navega, reeleito para um mandato de dois anos na presidência do Conselho de Desenvolvimento do Turismo da Costa do Sol (Condetur). Os recursos são do Ministério do Turismo, que serão requisitados através da Plataforma Mais Brasil.

A captação dos recursos para projetos de movimentação turística será possível graças a estrutura legal do Condetur, que foi montada nos dois últimos. A entidade é a única instância regional do Estado do Rio reconhecida pelo Ministério do Turismo, que outorgou uma Certidão e, por isso, está apta a conduzir a captação de recursos a fundo perdido.

– Os recursos existem, mas não chegaram ao Rio por falta de projetos. Nosso desafio agora é buscar ajuda federal dentro das políticas públicas do Ministério do Turismo – disse Navega, que tem encontro marcado com o secretário nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões, Lucas Fiúza, para tratar de investimentos no Estado do Rio.

Marco Navega explicou que a Costa do Sol tem condições de receber ajuda substancial do governo federal por possuir três municípios (Cabo Frio, Búzios e Macaé) na categoria A no mapa do turismo brasileiro. Cada um pode receber até R$ 800 mil por ano para apoio a eventos tradicionais. Os de categoria B (Arraial do Cabo, Saquarema e Rio das Ostras) podem captar até R$ 600 mil; e, os de categoria C (Maricá, Iguaba, São Pedro e Casimiro de Abreu) podem receber até R$ 400 mil. Os demais municípios de catetoria A são o Rio, Angra dos Reis, Paraty e Petrópolis.

– Somente o Condetur tem autonomia para inscrever os projetos. Uma equipe técnica está avaliando os eventos tradicionais que movimentam o turismo regional. Infelizmente, o governo estadual há anos não investe nos eventos do interior. Não há uma política estadual séria para o turismo e cada secretário que entra apresenta um projeto diferente que dificilmente sai do papel – lamentou Navega.

Os conselheiros do Condetur são empresários e representantes dos Conventions Bureau e das secretarias de turismo, mas o estatuto prevê que o presidente tem que ser da iniciativa privada. Na nova diretoria, Thomas Weber, de Búzios, foi eleito o vice-presidente das entidades privadas e Arnaldo Matoso, de Quissamã, vice das entidades públicas

A ajuda federal poderá beneficiar eventos tradicionais, que geram movimentação de turistas, como os festivais gastronômicos de Búzios, de Macaé e de Rio das Ostras; o Tubarões Bikerfest de Cabo Frio, na 23ª edição, e o Festival Sabores de Cabo Frio; o Festival de Jazz & Blues de Rio das Ostras; e, o campeonato internacional de surf de Saquarema, entre outros.

– Para conseguir os recursos, porém, os eventos precisam ter história e comprovarem a movimentação turística – concluiu Navega.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.