Assine Já
domingo, 24 de outubro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
MINISTÉRIO DO TURISMO AUTORIZOU

Cabo Frio volta a fazer parte do roteiro de transatlânticos a partir de novembro

Estão confirmadas 23 escalas na cidade até o mês de abril do ano que vem

08 outubro 2021 - 11h57Por Redação

A partir do dia 30 de novembro, Cabo Frio estará de volta ao roteiro turístico dos transatlânticos. Ao todo, segundo o secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Carlos Cunha, 23 escalas estão confirmadas até 9 de abril de 2022. A notícia foi confirmada nesta quinta-feira (7), após reunião com Júlio César Barretto, agente marítimo responsável pelos transatlânticos da MSC.

A retomada do turismo de transatlântico em Cabo Frio está respaldada pela publicação da Portaria Ministerial N° 657, de 2 de outubro de 2021, que normatizou e liberou o acesso dos transatlânticos marítimos à costa brasileira.

“Há meses a Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer vem trabalhando, e se preparando, para o retorno de Cabo Frio ao roteiro dos transatlânticos, em busca do reaquecimento do turismo e fortalecimento da economia local. Estávamos vislumbrando essa liberação nacional, que ocorreu oficialmente, via Ministério do Turismo, na semana passada. Inicialmente, tínhamos três desembarques da MSC confirmados a partir de dezembro, mas nesta quinta recebemos o agente marítimo da operadora e conseguimos não apenas aumentar em mais 20 escalas, como também antecipar a programação para novembro”, destacou Carlos Cunha.

O secretário também reforçou que a volta dos transatlânticos traz várias vantagens para Cabo Frio, como a divulgação das belezas naturais e demais atrativos aos cruzeiristas in loco.

“Isso proporciona a possibilidade de que esses turistas voltem futuramente à nossa cidade, para passar mais tempo. Além disso, tem a injeção de recursos na economia local através dos passeios, alimentação e compras durante a escala, e ainda a tributação de taxas ao Fundo de Turismo, o que possibilita a futura utilização desses valores para promoção e manutenção do destino”, explicou Carlos Cunha.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.