Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
20ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
Paulo César

Viagens de Paulo César e Ariston custaram R$ 71 mil, segundo MP

Ex-deputados federais são acusados de usar bilhetes aéreos funcionais para benefício próprio

08 novembro 2016 - 00h23Por Rodrigo Branco I Foto: Arquivo Folha
Viagens de Paulo César e Ariston custaram R$ 71 mil, segundo MP

De acordo com o Ministério Público Federal, os ex-deputados Paulo César e Bernardo Ariston gastaram de forma irregular cerca de R$ 71 mil em passagens aéreas entre os anos de 2007 e 2009. Os dados fazem parte de um levantamento da Procuradoria Regional da República da 1ª Região que deu origem a uma denúncia feita à Justiça. Ambos fazem parte de uma relação de 443 ex-deputados acusados pelo MPF de usar passagens aéreas destinadas apenas à atividade parlamentar para benefício próprio. A denúncia foi assunto de matéria publicada na edição da última sexta-feira.


Segundo a Procuradoria, as 54 viagens de Paulo César, que se candidatou a prefeito de Cabo Frio nas últimas eleições pelo PSDB, custaram aos cofres públicos R$ 25.244,52, fora os custos com taxa de embarque de R$ 137,34.


Já Ariston, segundo o relatório, voou 88 vezes, o que representou uma despesa de R$ 46.438,44, fora a taxa de embarque no valor de R$ 58,86.
Procurados pela reportagem, ambos negaram ter feito uso particular dos bilhetes aéreos. Ariston declarou ainda que emitiu as passagens dentro do que previa a resolução interna da Câmara.


O recordista da lista, que tem ex-ministros, deputados e senadores é Ilderlei Cordeiro (AC), que gastou R$ 245 mil em 388 viagens. Caso a Justiça aceita a denúncia e os acusados responderão pelo crime de peculato (pena de 2 a 12 anos de prisão).