Assine Já
sexta, 22 de novembro de 2019
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
Política

Vereador ameaça ir ao Ministério Público contra Adriano

Rafael Peçanha afirma que números indicam crimes por parte do governo municipal

13 junho 2019 - 09h32
Vereador ameaça ir ao Ministério Público contra Adriano

TOMÁS BAGGIO

Após a revelação dos valores arrecadados pela Prefeitura em 2019, o vereador Rafael Peçanha (PDT) disse ontem à Folha que irá entrar com uma representação no Ministério Público contra o prefeito Adriano Moreno (Rede), por supostos crimes de improbidade administrativa e prevaricação.
Para o vereador, os dados mostram que a Prefeitura tem dinheiro suficiente para pagar os funcionários em dia e manter a normalidade dos serviços.

– Os números mostram que o governo mente de qualquer forma. Ou mente ao dizer que não tem dinheiro para efetuar o pagamento dos servidores e investir na cidade, porque os dados do Portal da Transparência indicam o contrário, e neste caso estaria incorrendo em crime de improbidade e prevaricação, ou mente sobre os dados que estão no Portal da Transparência, o que, além dos outros dois crimes, ainda seria uma fraude contábil. O fato é que os dados apontam crimes do governo – afirmou o líder da oposição na Câmara.

Na última terça-feira a Folha publicou uma reportagem mostrando que a Prefeitura de Cabo Frio arrecadou R$ 210 milhões de janeiro a abril. O número representa um aumento de 4,4% em relação ao mesmo período do ano passado. Nos mesmos quatro meses a Prefeitura aplicou cerca de R$ 140 milhões em pagamento de salários e repasses obrigatórios. Além disso, não houve arrestos judiciais este ano.

Ontem a Folha teve acesso a dados ainda mais atualizados que foram lançados no Portal da Transparência. Os dados abordam os 11 meses consolidados da gestão Adriano Moreno, de julho de 2018 a maio de 2019. No período foram arrecadados R$ 811 milhões. Já os gastos, entre despesas e deduções, ficou em R$ 672 milhões - um superávit de R$ 138 milhões. 

Os números também representam um aumento na comparação com o mesmo período anterior, ou seja, de julho de 2017 a maio de 2018, quando a Prefeitura arrecadou R$ 771 milhões.

– O governo não investe na cidade e não cumpre suas obrigações mesmo diante de uma arrecadação positiva, inclusive com um superávit no período. É um governo mentiroso, que não merece estar ocupando o lugar que ocupa, oprimindo a população, enganando o povo e afundando a cidade – completou o vereador.

Os dados do Portal da Transparência apontam que, nos 11 meses de gestão, a arrecadação média mensal foi de R$ 74 milhões, enquanto a folha salarial gira em torno de R$ 35 milhões a R$ 40 milhões. Isto representaria uma sobra mensal, em média, de pelo menos R$ 14 milhões.

Um dos destaques no comparativo está no último mês de dezembro, quando a arrecadação foi de R$ 119 milhões. No mesmo mês de 2017, foi de R$ 64 milhões. A receita quase dobrou em um ano.

A Prefeitura foi procurada pela reportagem mas não se pronunciou.