Assine Já
quarta, 15 de julho de 2020
Região dos Lagos
20ºmax
14ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 3507 Óbitos: 202
Confirmados Óbitos
Araruama 671 42
Armação dos Búzios 288 8
Arraial do Cabo 88 11
Cabo Frio 1067 66
Iguaba Grande 257 20
São Pedro da Aldeia 537 20
Saquarema 599 35
Últimas notícias sobre a COVID-19
servidores

Servidores já mostram impaciência com governo

Silêncio sobre contraproposta de calendário de pagamento incomoda e protestos não estão descartados

17 janeiro 2017 - 00h09Por Rodrigo Branco I foto: Arquivo Folha
Servidores já mostram impaciência com governo

Hoje completa uma semana que a contraproposta dos funcio­nários públicos municipais para o calendário salarial foi entregue à Prefeitura de Cabo Frio, mas desde então não houve avanços e a negociação está emperrada. A demora do governo em fazer uma nova oferta já causa impa­ciência entre os servidores e, nos bastidores, já foi levantada a possibilidade da volta das ma­nifestações de rua, frequentes na gestão do ex-prefeito Alair Cor­rêa, caso não haja uma resposta rápida sobre o assunto.

Oficialmente, contudo, protes­tos como o fechamento de pontes ainda teriam que ser aprovados na assembleia unificada das ca­tegorias, marcada para amanhã. De qualquer forma, o presidente do Sindicato dos Servidores Mu­nicipais de Cabo Frio (Sindicaf), Olney Vianna, disse estranhar a situação e cobrou uma resposta da secretaria de Governo, onde foi entregue a contraproposta dos servidores.

– Esperava que no dia seguin­te a gente tivesse uma resposta. Era para a Secretaria de Gover­no ter se mexido de imediato para resolver a situação. Não é questão de impaciência, é de de­sespero. O pessoal está passando fome – disse Olney, que ontem tentou, sem sucesso, solucionar a questão na Prefeitura.

Enquanto o impasse não é re­solvido, alguns setores, como a Guarda Municipal, passam por mudanças para atender à de­manda da alta temporada. Se­gundo o delegado sindical Joel Pires Marques, foi fechado um acordo interno com a chefia para aumentar o contingente nos plantões de 30% (percentual previsto na lei de greve, já que a Guarda permanece aquartelada) para 50% do quadro funcional. O formato da escala continua 24 x 72 (um dia trabalhado para três de descanso). Sobre o estado de ânimo dos colegas, ele prefere não opinar.

– Isso é muito subjetivo, no momento em que nós ainda não passamos por uma assembleia – disse Joel.

A Associação dos Fiscais Mu­nicipais, idealizadora da con­traproposta, se manifestou na última sexta-feira e não econo­mizou farpas contra o governo. Em postagem no seu perfil do Facebook, a entidade disse que procurou três vezes o secretá­rio de Administração, Deodoro Azevedo, mas como não conse­guiu ser recebida, ‘entende que o governo não quer dialogar’.

Um servidor que pediu para não ser identificado deu o tom da insatisfação entre os colegas.

– Os servidores estão revol­tados. Até agora não deram res­posta de nada. Estão ganhando tempo – comentou.

Em nota enviada à reporta­gem, a Prefeitura de Cabo Frio informou que está acompanhan­do diariamente a receita munici­pal para averiguar a viabilidade da contraproposta enviada pelos servidores.