Assine Já
terça, 19 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
31ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Araruama

Reajuste na Câmara de Araruama irrita população

Às vésperas de recesso parlamentar, vereadores aprovam 26% a mais no salário

21 julho 2016 - 13h10Por Rodrigo Branco I Foto: Reprodução de TV

Em tempos de crise econômica na administração pública, em geral, o receituário é apertar os cintos, enxugar as despesas menos urgentes e cortar gastos desnecessários. Mas esta, ao que parece, não é a opinião dos vereadores de Araruama que acabam de aprovar um aumento de 26% nos salários, que vão passar de R$ 10 mil para 12,6 mil. Os novos valores serão adotados a partir da próxima legislatura, entre 2017 e 2020.

A medida, aprovada em sessão que durou menos de 20 minutos e às vésperas do recesso parlamentar de 15 dias, causou muita revolta na população, sobretudo, nos servidores municipais que reclamaram muito da falta de reajuste e de atrasos nos vencimentos.

Nas redes sociais, houve uma enxurrada de críticas, com direito a diversas montagens com os rostos dos 11 vereadores que aprovaram o projeto: Borracha (PP), Russo (PTB), Cristiane Marins (PRB), Magno Dheco (PSB), Paulo Corrêa Junior (PSL), Julio Cesar (PSC), Rosana (PRB), Ciraldo (PSL), Carlinhos Dutra (PR), Penha (PR) e Sargento Raimundo (PSB).

Dos 17 vereadores, apenas dois – Zezinho (PSD) e Rone Rossy (PT do B) – votaram contra a proposta. Marcelo Amaral (PRB), Cláudio Norberto (PV) e Zé Antônio da Agrijar (PP) não participaram da votação. Este último, aliás, que se declarou contrário ao aumento e chegou atrasado à sessão, abusou da ironia em sua conta no Facebook para comentar a situação na Casa Legislativa.

“Pela primeira vez a sessão começou pontualmente e foi encerrada em 10 minutos. Cheguei com 10 minutos de atraso (sempre sou um dos primeiros a me posicionar) e nesses 10 minutos as matérias foram votadas e a sessão foi encerrada. Sem falar que para que ocorra transparência, as matérias entram na ordem do dia e são votadas na sessão seguinte. Talvez porque tenha me comprometido em divulgar o dia da votação. Infelizmente mais uma vez a maioria vira as costas para o clamor público, talvez na certeza que estão eleitos. O aumento dos vereadores ocorreu pela maioria”, postou.
Essa não foi a primeira vez que os vereadores tentaram legislar em causa própria e aumentar os próprios ganhos. No fim de março, também com bastante tumulto e protestos em frente à Câmara, o projeto de lei chegou a figurar na pauta, mas acabou retirado por causa da grande pressão popular.

Desta vez, contudo, nem isso e tampouco o anúncio antecipado da pauta foi capaz de impedir a manobra que, segundo os vereadores, é legal, não infringindo nenhuma lei eleitoral.

– A lei eleitoral não é infringida, já que a Lei Orgânica Municipal determina que o reajuste seja feito antes de acabar o mandato – comentou um deles.
O último reajuste nos salários dos vereadores aconteceu em 2012, passando de R$ 7 mil para os atuais R$ 10 mil.