Assine Já
sexta, 03 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53693 Óbitos: 2188
Confirmados Óbitos
Araruama 12500 448
Armação dos Búzios 6584 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15591 902
Iguaba Grande 5572 147
São Pedro da Aldeia 7051 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Radamés

Radamés: 'Turismo tem que sair apenas do discurso político'

Demissionário, secretário de Turismo aponta redu&cced

20 junho 2019 - 08h44
Radamés: 'Turismo tem que sair apenas do discurso político'

A reforma administrativa da prefeitura de Cabo Frio acabou por produzir mais uma baixa para o governo. O empresário Radamés Muniz entregou nesta quarta-feira (19) o cargo de secretário municipal de Turismo para o prefeito Adriano Moreno (Rede). Assume o lugar, a partir de 1o de julho, o professor e atual superintendente de Turismo Histórico, Paulo Cotias.

Embora tenha feito questão de dizer que a saída não foi conflituosa, Radamés disse para à Folha que não concordou com o enxugamento da pasta, por meio da retirada das superintendências de eventos e de indústria e comércio. Pela reforma quer acaba de ser aprovada, a primeira ficará com a recém-criada secretaria de Gestão Institucional e a segunda, com a nova pasta de Desenvolvimento Econômico.

Com Radamés, que é filiado ao PSB, o partido também rompe com o governo. O empresário permanece no posto até o próximo dia 30, a tempo de concluir o inventário hoteleiro que está em andamento, entre outros compromissos, como a participação em duas feiras do setor, que já estavam agendadas. Radamés garante que a saída do governo é ‘amigável’ e que não há frustração por interromper o trabalho.

– Nesse momento, achei melhor sair. Perder os eventos e a parte de indústria e comércio não é interessante com a capilaridade que eu consegui, inclusive no estado. Vai ficar uma secretaria muito reduzida. Quero que Cabo Frio viva do turismo e não apenas fale de turismo. Quero que a secretaria vire uma autarquia como acontece em Gramado (RS). Quero ver a cidade crescer e sair desse ciclo de reclamar do turismo. em que ter Saúde e Educação, mas o Turismo tem que ter a importância que é dada no discurso político – justificou.

Nesta quarta, Radamés comunicou empresários do setor e representantes do trade, como o Convention Bureau de sua decisão. Os convênios assinados para instalação de totens e para terminal de barcos de passeio, ele afirma, estão mantidos. O empresário disse que sai satisfeito com o
trabalho realizado, que incluiu ações como a implantação do edital de fomento ao turismo, que permitiu a realização de eventos como o Beatles Rock, na Praça Porto Rocha.
 
– Não saio frustrado. São momentos políticos. Sei do trabalho que estou fazendo junto ao trade. Dei satisfação a eles. O trade caminha junto. Saio satis-
feito, pois consegui imprimir um ritmo empresarial, dando economicidade nos eventos. Rompemos paradigmas de anos, ao tirar os eventos da Comsercaf. É importante que quem assumir os eventos ouça o clamor do Turismo. O calendário já existe. Não pode é, a cada governo, dizer
que não vai fazer a Festa Portuguesa, por exemplo. Eu sinto muita falta da Festa Portuguesa, da Festa Nordestina e algumas festas que são tradicionais
– conclui.

Radamés Muniz sai do governo após dois episódios recentes que causaram polêmica no governo. No começo de maio, em áudio vazado de uma conversa no WhatsApp, o secretário reclamou com uma pessoa não identificada de interferência política na pasta e criticou a atuação do prefeito Adriano. Na conversa, ele já havia ameaçado pedir exoneração do cargo. Questionado, Radamés disse que o pedido feito nesta quarta não tem ligação com as reclamações que fez naquela ocasião.
 
Na semana anterior, fotos divulgadas de uma conversa entre Radamés, o vice-prefeito Felipe Monteiro; o então secretário de Educação Cláudio Leitão
e o ex-prefeito Marquinho Mendes em uma barbearia-bar no Boulevard Canal já havia causado mal-estar. À época, Radamés negou qualquer tipo de aproximação política com o ex-prefeito e publicou uma foto em que aparecia com Adriano em uma reunião com o ex-governador Francisco Dornelles para tentar mostrar normalidade.
 
Sucessor – Aos 41 anos, o professor Paulo Cotias é coordenador do curso de História da Faculdade Estácio de Sá de Cabo Frio, especialista  
em Docência Superior e mestre em Educação. Atualmente, especializa-se em Gestão de Turismo.
 
Leia também: