Assine Já
sábado, 16 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
POLÍTICA

PSL anuncia Rodrigo Gurgel e direita se divide em Cabo Frio

Serginho se diz perseguido pelo partido e garante que será candidato a prefeito

07 janeiro 2020 - 20h11Por Rodrigo Branco
PSL anuncia Rodrigo Gurgel e direita se divide em Cabo Frio

Virado o ano, o cenário político com vistas às eleições municipais começa a efervescer. Em Cabo Frio, a corrida pela cadeira hoje ocupada por Adriano Moreno (DEM) ganhou mais um postulante: Rodrigo Gurgel foi confirmado como pré-candidato a prefeito pela Executiva Estadual do PSL na noite de anteontem. Gurgel é ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL) e irmão do deputado federal Sargento Gurgel Soares, que assumiu a presidência da legenda no Rio de Janeiro, após a saída do clã Bolsonaro dos quadros do partido.

Com o anúncio da pré-candidatura de Gurgel, a expectativa é por uma divisão política no campo conservador. Isso porque o deputado estadual Serginho Azevedo, fiel ao presidente Jair Bolsonaro e em conflito dentro do partido, confirmou que vai levar adiante a sua pré-candidatura. Seja pela Aliança do Brasil, em processo de homologação junto à Justiça Eleitoral, ou até mesmo por outro partido, se a legenda não sair do papel a tempo de participar das eleições de outubro.

À Folha, Gurgel disse ter ficado feliz com a indicação, avalizada por outra liderança conhecida na região, o deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ), e afirmou que pretende se apresentar como “opção à política tradicional”. Evitando polemizar, o agora pré-candidato afirmou que, mesmo com a saída dos Bolsonaro, o PSL mantém-se fiel à agenda política do presidente de República.

– Acredito que o PSL se consolidou como partido de direita. O PSL vai continuar a caminhar com o projeto do presidente. Não precisamos estar no mesmo partido para declarar apoio e ter os mesmos ideais. Não é a sigla que define o caráter – afirmou.   

Por sua vez, Serginho busca a desfiliação do partido, alegando perseguição política. O deputado estadual afirmou que já esperava o movimento da Executiva Estadual, mas que vai construir o próprio caminho, que inclui oposição ao governador Wilson Witzel (PSC).

– A expectativa é que a Aliança pelo Brasil saia a tempo. De qualquer forma, irei para o partido que meus líderes políticos mandarem. E garanto que nossa pré-candidatura a prefeito de Cabo Frio é mais sólida que qualquer outra. Vou ser candidato para reconstruir nossa cidade, com competência, ética, compromisso com o povo e alinhadíssimo com o Governo Federal – afirmou o parlamentar, que aumentou o tom.

– Os que ficam no PSL e fazem esse movimento de perseguição aos bolsonaristas são contra o Bolsonaro. Depois eles vão querer associar a imagem, mas a política até perdoa a traição, mas com o traidor ela é implacável – conclui.

Questionado, Gurgel rechaçou a ideia de que Serginho está sendo perseguido.

– O PSL não persegue ninguém. Se ele está dizendo que vai se lançar candidato, pela Aliança ou por outro partido, tendo a liberdade de migrar, ele não está sendo perseguido. O discurso dele não bate – respondeu.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.