quarta, 21 de fevereiro de 2024
quarta, 21 de fevereiro de 2024
Cabo Frio
24°C
park logs
DENÚNCIA

Profissionais da Educação anunciam protesto em Iguaba Grande

Profissionais cobram o cumprimento da lei do piso salarial e regularização de outros benefícios

30 março 2023 - 15h53Por Redação

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe Costa do Sol) anunciou para esta sexta-feira (31) um protesto em Iguaba Grande. O ato está marcado para às 16h, em frente à Prefeitura, onde também fica a sede da Secretaria Municipal de Educação. Segundo a coordenadora Júlia Moschen, o ato é unificado das equipes de apoio escolar, secretaria, técnico pedagógico e professores, uma vez que o governo iguabense estaria em falta com diversas leis, uma delas o cumprimento do piso salarial. 

- Os salários dos profissionais de educação estão defasados e precisando de correção para se adequar a lei nacional - contou.

Outra questão apontada pelo Sepe Costa do Sol é que no começo deste ano a carga horária dos profissionais de apoio aumentou de 30 para 40 horas, o que estaria conforme o concurso, não contraria um acordo firmado anteriormente. 

- Há 10 anos existia um acordo entre a Secretaria de Educação e os funcionários para redução da carga horária já que não houve reajuste de salários. Há também exigência pelo aumento do auxílio transporte e alimentação porque os valores também estão defasados, e a quantia recebida não corresponde aos valores de mercado. Sem contar que muitos profissionais ainda não recebem esse direito - explicou Júlia.

A coordenadora do Sepe denunciou, também, que a Secretaria Municipal de Educação de Iguaba Grande paga ao magistério "gratificações" fora do salário base como compensação às outras perdas.

- Mas isso traz insegurança porque há desconto integral, mesmo em caso de falta médica justificada, que está prevista na Lei. Sem contar que é um "benefício" que pode ser retirado a qualquer momento por simples vontade política -  contou.

Este não é o único problema denunciado pelo Sepe Costa do Sol. Em fevereiro deste ano a Prefeitura de Iguaba Grande foi alvo de questionamentos pelo fato da Secretaria de Educação estar fazendo “um absurdo número de contratações temporárias”, sem processo seletivo, e para vagas que foram oferecidas no concurso público. A Folha entrou em contato com o secretário de Educação de Iguaba Grande, Jales Lins e com o prefeito Vantoil Martins, mas não houve resposta.