Assine Já
quinta, 26 de novembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11737 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2347 117
Armação dos Búzios 1060 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1069 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
‘Processo começa e termina no STF’

‘Processo começa e termina no STF’

Advogado Carlos Magno diz que Eduardo Cunha entrará em ação penal

03 março 2016 - 13h44

Após o voto do ministro Teori Zavascki, relator dos inquéritos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), com a aceitação parcial da denúncia do procurador geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), o advogado Carlos Magno de Carvalho prevê ainda longa espera para a conclusão do processo. Magno acredita que o plenário do STF não afastará o peemedebista do cargo antes de uma condenação.

O inquérito acusa o presidente da Câmara de suposto recebimento de propina no valor de US$ 5 milhões. O peemedebista, em troca, teria permitido a contratação de navios-sonda pela Petrobras. Segundo o processo, a deputada Solange Almeida (PMDB) também estaria envolvida no esquema de corrupção.

– Ele (Cunha) passa a responder como réu numa ação penal. A denúncia deverá ser recebida pelo Supremo Tribunal Federal. O juiz natural é o STF. Ele, como parlamentar, está sendo julgado pelo STF. Isto não quer dizer que ele já esteja condenado, mas ele pode ser réu numa ação em que pode acabar em prisão e também à perda do cargo – declarou Magno.

A Suprema Corte poderá afastar o deputado do cargo ou não. De acordo com Carlos Magno, haverá uma discussão se o presidente da Câmara pode perder os direitos políticos sem condenação – O Supremo Tribunal Federal ainda decidirá se Eduardo Cunha será afastado ou não. No meu entendimento, a suprema corte não irá afastá-lo, porque há uma discussão em que o acusado deve ser condenado para deixar o cargo. O problema do Cunha é que ele não tem mais recursos. O STF é a última instância. O processo começa e termina no Supremo Tribunal Federal – explicou.
De acordo com Magno, não haverá condenação hoje (03). O processo está apenas na fase inicial.

– Cunha não pode ser condenado amanhã (hoje). O processo será iniciado apenas. As testemunhas dele serão ouvidas. O promotor também será ouvido. Devem fazer provas, verificar as acusações, os dois lados serão ouvidos. Serão feitas coletas de informações. Esse processo deve durar um ano. Aliás, o processo deve correr entre seis meses e um ano – concluiu o advogado.
A Folha dos Lagos entrou em contato com o deputado cabofriense Marquinho Mendes (PMDB), que preferiu não se pronunciar sobre o assunto até a saída da decisão do Supremo Tribunal Federal.