Assine Já
terça, 22 de setembro de 2020
Região dos Lagos
20ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7914 Óbitos: 414
Confirmados Óbitos
Araruama 1580 102
Armação dos Búzios 474 10
Arraial do Cabo 231 13
Cabo Frio 2555 140
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1284 51
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
prefeitura

Prefeitura quer coibir compra de terrenos ilegais

Governo de Cabo Frio lança campanha em Tamoios e na zona rural da cidade

27 maio 2017 - 11h07Por Rodrigo Branco
Prefeitura quer coibir compra de terrenos ilegais

Com a região central de Cabo Frio saturada, o mercado imobiliário voltou os olhos de vez para a zona rural e o Segundo Distrito. Área que sofre com frequentes invasões e com a forte ação de grileiros, a região de Tamoios e Unamar está na mira da Prefeitura, que resolveu agir contra a venda de terrenos ilegais. Para que outros compradores não sejam lesados, o governo aposta não apenas na repressão, mas sobretudo, na informação. A Coordenadoria-Geral de Planejamento está à frente da campanha.

– No início do governo, a gente viu que havia uma demanda muito grande quanto a isso, com muito parcelamento de terras. Há muita gente de boa-fé comprando, mas as pessoas precisam tomar cuidado, se inteirarem junto à Prefeitura, ao Registro de Imóveis e nos Cartório do 1º Ofício – explica a coordenadora-geral de Planejamento, Rosane Vargas.

Para amparar as ações contra os loteadores clandestinos, o governo está tratando de criar a base legal. De acordo com a coordenadora, a Procuradoria-Geral está redigindo um projeto de lei para enviar em breve à Câmara Municipal. O objetivo é criar parâmetros para regulamentar o uso do solo naquela região. Ao mesmo tempo, a coordenadoria realiza um inventário de todos os processos de parcelamento do solo que tramitam no setor e um levantamento dos loteamentos clandestinos no Segundo Distrito. Até o momento, foram localizados 12 em condições de serem regularizados.

– Há uma estrutura forte de corretagem que traz, principalmente, o pessoal da Baixada Fluminense para o Segundo Distrito. E as pessoas acabam ludibriadas. Precisamos dar publicidade a isso – enfatiza Rosane Vargas.

* Confira matéria completa na edição deste fim de semana da Folha dos Lagos.