Assine Já
quinta, 26 de novembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11737 Óbitos: 538
Confirmados Óbitos
Araruama 2347 117
Armação dos Búzios 1060 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1069 40
São Pedro da Aldeia 1801 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
prefeitura

Prefeitura deve depositar salário de setembro nesta sexta (20)

Segundo Marquinho, governo espera repasses para depositar R$ 2 milhões

20 outubro 2017 - 10h01Por Rodrigo Branco
Prefeitura deve depositar salário de setembro nesta sexta (20)

Setembro tem apenas 30 dias, mas no peculiar calendário da crise em Cabo Frio, o mês só deve acabar hoje, 20 dias depois,  para o funcionalismo público municipal. Mas, como já vem sendo declarado  pela prefeitura há algum tempo, o pagamento dos salários do mês passado depende da entrada de recursos. 
De acordo com o prefeito Marquinho Mendes (PMDB), faltam R$ 2 milhões para terminar de pagar a folha salarial. Ele espera que esses recursos entrem hoje, por meio de repasses do ICMS e do ISS a que o município tem direito. Marquinho aproveitou para mais uma vez criticar o seu antecessor.
–  Vai ser assim até a gente normalizar a bagunça deixada pelo Alair. O povo tem memória curta e esquece o que foi deixado e só cobra o presente. Se não tivéssemos essa dívida herdada, estaríamos tranquilos financeiramente falando – justifica-se o pefeito.
O secretário de Fazenda, Clésio Guimarães Faria, confirmou as palavras do prefeito. Ele espera receber R$ 1,5 milhão de ISS e entre R$ 400 mil e R$ 500 mil, de ICMS. 
– Falta pagarmos menos da metade dos contratados e os comissionados – afirma.
Enquanto a arrecadação permanece irregular, a prefeitura tenta enxugar as despesas. Marquinho afirmou que a folha salarial de setembro já está menor que a anterior.
– Com o trabalho que estamos fazendo, só este mês cortamos R$ 1,142 milhão – garante.
Idas a Brasília – O prefeito esteve em Brasília durante esta semana, na busca por emendas parlamentares ao Orçamento da União de 2018. Entre pedidos e promessas, conseguiu voltar da Capital Federal com a liberação de uma emenda de R$ 7,7 milhões para a área de Saúde. A emenda é dele próprio, enquanto esteve como deputado federal, mas com a saída para assumir a prefeitura, estava parado.
– Estive com o ministro da Saúde (Ricardo Barros) e consegui a liberação. Depois que eu deixei de ser deputado, minha emenda, mesmo sendo impositiva, foi para o fim da fila – explica.

 

 

* Confira matéria completa na edição desta sexta (20) da Folha dos Lagos.