Assine Já
quarta, 30 de setembro de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8382 Óbitos: 435
Confirmados Óbitos
Araruama 1653 103
Armação dos Búzios 495 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2765 149
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1353 54
Saquarema 1180 68
Últimas notícias sobre a COVID-19
prefeitura de cabo frio

Prefeitura de Cabo Frio não renova contratos

Projeto Crescendo com o Esporte, mantido por contratados, sai prejudicado

08 janeiro 2016 - 09h29

A Prefeitura de Cabo Frio informou, na tarde de ontem, que não renovou os contratos – exceto dos serviços mais essenciais – de centenas de funcionários. As únicas áreas preservadas foram Saúde, Educa- ção, Ordem Pública, Serviços Públicos e Assistência Social. Os cortes são parte de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelo governo com o Ministério Público.

A Secretaria de Comunicação não confirmou, até o fechamento da edição, às 19h, o número exato de funcionários a menos no quadro em 2016 – o MP pediu a extinção de 5 mil cargos. Nem se todos os contratados efetivamente já deixaram de trabalhar. Segundo apuração da Fo- lha, ainda há contratados exercendo suas funções.

O secretário de Comunicação, Edinho Ferrô, afirmou que não era necessário um aviso prévio do governo, que podia simplesmente não renovar os contratos. Ainda segundo ele, a recomendação dada pelo prefeito foi que cada secretário avisasse aos contratados de seu setor que não deveriam mais trabalhar.

O termo foi assinado em dezembro do ano passado por conta de uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público que pretende acabar com irregularidades em contratos temporários. Mas o TAC não trata apenas dos contratados, como também obriga uma melhor fiscalização dos concursados e comissionados e pede pela contenção de gastos.

Projeto esportivo e social na berlinda

O maior estrago que os cortes no funcionalismo irá fazer é no projeto Crescendo com o Esporte, vinculado à Secretaria de Esportes. No fim do ano passado, eram 8.000 crianças atendidas pelo programa. No entanto, todos os 80 professores que faziam parte do quadro de funcionários eram con- tratados e não tiveram vínculo renovado para 2016. Para contornar a situação, o secretário Alfredo Gonçalves está tentando agendar reunião com o Ministério Público para encontrar uma solução de continuidade do projeto.

– São 8.000 crianças. Então, esse projeto é de extrema importância para a cidade, para a área social. O fim do Crescendo com o Esporte significa milhares de crianças sem fazer nada. Eu conto com o bom senso do Ministério Público para encontrar uma solução que mantenha o projeto funcionando. Esta é a nossa prioridade agora – afirmou.

 

*Foto: Eduander Silva