Assine Já
domingo, 12 de julho de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
15ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Suspeitos: 344 Confirmados: 3388 Óbitos: 196
Suspeitos: 344 Confirmados: 3388 Óbitos: 196
Suspeitos:
Confirmados:
Óbitos:
Suspeitos Confirmados Óbitos
Araruama 274 658 42
Armação dos Búzios X 272 7
Arraial do Cabo 16 84 11
Cabo Frio X 1037 64
Iguaba Grande 12 241 20
São Pedro da Aldeia 10 530 19
Saquarema 32 566 33
Últimas notícias sobre a COVID-19
prefeitura de cabo frio

Prefeitura de Cabo Frio não renova contratos

Projeto Crescendo com o Esporte, mantido por contratados, sai prejudicado

08 janeiro 2016 - 09h29

A Prefeitura de Cabo Frio informou, na tarde de ontem, que não renovou os contratos – exceto dos serviços mais essenciais – de centenas de funcionários. As únicas áreas preservadas foram Saúde, Educa- ção, Ordem Pública, Serviços Públicos e Assistência Social. Os cortes são parte de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelo governo com o Ministério Público.

A Secretaria de Comunicação não confirmou, até o fechamento da edição, às 19h, o número exato de funcionários a menos no quadro em 2016 – o MP pediu a extinção de 5 mil cargos. Nem se todos os contratados efetivamente já deixaram de trabalhar. Segundo apuração da Fo- lha, ainda há contratados exercendo suas funções.

O secretário de Comunicação, Edinho Ferrô, afirmou que não era necessário um aviso prévio do governo, que podia simplesmente não renovar os contratos. Ainda segundo ele, a recomendação dada pelo prefeito foi que cada secretário avisasse aos contratados de seu setor que não deveriam mais trabalhar.

O termo foi assinado em dezembro do ano passado por conta de uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público que pretende acabar com irregularidades em contratos temporários. Mas o TAC não trata apenas dos contratados, como também obriga uma melhor fiscalização dos concursados e comissionados e pede pela contenção de gastos.

Projeto esportivo e social na berlinda

O maior estrago que os cortes no funcionalismo irá fazer é no projeto Crescendo com o Esporte, vinculado à Secretaria de Esportes. No fim do ano passado, eram 8.000 crianças atendidas pelo programa. No entanto, todos os 80 professores que faziam parte do quadro de funcionários eram con- tratados e não tiveram vínculo renovado para 2016. Para contornar a situação, o secretário Alfredo Gonçalves está tentando agendar reunião com o Ministério Público para encontrar uma solução de continuidade do projeto.

– São 8.000 crianças. Então, esse projeto é de extrema importância para a cidade, para a área social. O fim do Crescendo com o Esporte significa milhares de crianças sem fazer nada. Eu conto com o bom senso do Ministério Público para encontrar uma solução que mantenha o projeto funcionando. Esta é a nossa prioridade agora – afirmou.

 

*Foto: Eduander Silva