Assine Já
sábado, 27 de fevereiro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
21ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 26379 Óbitos: 907
Confirmados Óbitos
Araruama 6711 182
Armação dos Búzios 3191 32
Arraial do Cabo 855 37
Cabo Frio 7249 347
Iguaba Grande 2510 55
São Pedro da Aldeia 3488 126
Saquarema 2375 128
Últimas notícias sobre a COVID-19
Arraial

Prefeitura de Arraial anuncia cortes e extinção de secretarias

Com queda nas receitas, município tem que adotar medidas de contenção de gastos

23 maio 2017 - 19h39Por Rodrigo Branco I Foto: Arquivo Folha
Prefeitura de Arraial anuncia cortes e extinção de secretarias

Cortar na carne. A expressão é do próprio prefeito de Arraial do Cabo, Renatinho Vianna (PRB), que anunciou ontem um pacote de austeridade para tentar superar a crise financeira no município. As medidas incluem diminuição de salários e de cargos comissionados, redução de 30% nos contratos, além da fusão e da extinção de secretarias. Renatinho também admitiu que terá que demitir funcionários, mas o percentual está sob análise de cada pasta.

– São medidas antipáticas que ninguém gostaria de tomar, mas temos que fazer pelo momento que vive o país, pela crise no estado e pela maneira que o município foi conduzido nos últimos oito anos. Vamos ter que cortar na carne para ver se a gente consegue sair desse atoleiro – disse Renatinho.

A principal alegação é a queda nas receitas do município. Somente com os royalties, a perda estimada é de R$ 700 mil. Os recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foram desbloqueados pela Procuradoria-Geral, mas não é possível contar com ele, pois estão  sendo usados para amortizar dívidas com o Governo Federal. Neste cenário, Renatinho conta com o novo plano de refinanciamento dos débitos com a União (Refis) para que a Prefeitura consiga ter mais fôlego. Ele também acredita que ganhou um argumento a mais para colocar em prática a polêmica Taxa de Preservação Ambiental.

– A tese da TPA fica fortalecida porque está com provado que o município não pode ficar tão dependente dos royalties. Tem que investir no Turismo e tornar-se autossustentável – defende Renatinho.

As medidas, aliás, afetam o próprio prefeito e todo o primeiro escalão do governo. A redução é de 20%. Renatinho terá o salário reduzido para R$13,5 mil; o vice Serginho Carvalho para R$ 7,5 mil e os secretários para R$ 4,5 mil. As alterações serão retroativas a 1º de abril deste ano.

Na reforma administrativa, foram extintas as secretarias de Governo, Eventos e Comunicação; de Esporte e Lazer e de Indústria, Comércio, Habitação e Regularização Fundiária. A de Governo e Eventos será incorporada pela pasta de Administração, enquanto a de Esporte e Lazer será pela de Turismo. Já a pasta de Indústria, Comércio, Habitação e Regularização Fundiária farão parte da secretaria de Obras e Urbanismo. A Comunicação fica a cargo do gabinete.