Assine Já
quarta, 20 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Prefeitos

Prefeitos da região se encontram com Rodrigo Maia

Café da manhã tem como objetivo pleitear por verbas para municípios

10 maio 2017 - 07h54Por Rodrigo Branco I Foto: Agência Brasil
Prefeitos da região se encontram com Rodrigo Maia

 Atrás de soluções para aliviar a crise financeira dos municí­pios, os prefeitos da Região dos Lagos tomaram um avião para Brasília, onde hoje têm um café da manhã com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ). O convite foi feito pelo próprio chefe do Le­gislativo federal por meio do se­cretário de Governo de Saquare­ma, o ex-prefeito Antônio Peres.

O prato principal do encon­tro é a busca por um meio de derrubar o decreto do presiden­te Michel Temer, publicado na semana passada, que muda a regra de cálculo dos royalties a partir de janeiro do ano que vem. O deputado federal Otá­vio Leite (PSDB) protocolou na última quinta um projeto de decreto que revoga a medida presidencial. Um dos objetivos dos prefeitos é pressionar Maia a colocar logo a matéria na pau­ta de votação. Ex-integrante da bancada fluminense na Câmara, o prefeito de Cabo Frio, Mar­quinho Mendes, aposta no en­tendimento.

– A medida é catastrófica para o Estado do Rio e para Cabo Frio, como município produtor. Vamos reivindicar junto ao Ro­drigo, com quem eu tenho uma relação de amizade, que ele ten­te reverter essa posição do Te­mer – disse Marquinho.

O prefeito de Arraial do Cabo, Renatinho Vianna, é outro que critica o decreto presidencial. Ele reclama da má vontade de Michel Temer com o Estado do Rio e projeta as perdas que o município terá quando as novas regras de cálculos dos royalties entrarem em vigor.

– É uma mostra de que o pre­sidente não tem muita consi­deração com o Estado do Rio. Esse decreto representa uma perda de 50% na arrecadação. Eles que resolvam os problemas do país, mas sem prejuízo aos municípios – ponderou o pre­feito cabista.

Mas a busca por uma solução quanto aos royalties não será pauta única do café da manhã político. Os prefeitos tentarão também recursos para obras e programas que estão parados.