Assine Já
sexta, 15 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
21ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
impeachment

Por 55 votos a 22, impeachment passa no Senado e Dilma é afastada por até 180 dias

Presidente e vice Michel Temer serão notificados ainda nesta quinta-feira (12)

12 maio 2016 - 09h18
Por 55 votos a 22, impeachment passa no Senado e Dilma é afastada por até 180 dias

Senadores de oposição comemoram resultado da votação (Marcelo Camargo - Agência Brasil)

Em sessão que durou mais de 20 horas e terminou apenas no começo da manhã desta quinta-feira (12), o plenário do Senado Federal aprovou por 55 votos a 22 a abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff  (PT). Agora, Dilma ela fica afastada do mandato por até 180 dias, até o julgamento final pelo Senado. Com o afastamento de Dilma, o vice Micherl Temer (PMDB) assume como presidente em exercício.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), não votou – ele só votaria em caso de empate. Dois senadores, de licença médica, se ausentaram: Jader Barbalho (PMDB-PA) e Eduardo Braga (PMDB-AM).

Dilma e Temer serão oficialmente notificados ainda na manhã desta quinta (12) da decisão do afastamento.

Por decisão de Renan, durante o período que ficará afastada, Dilma continuará a ter direito à residência oficial do Palácio da Alvorada, segurança pessoal, assistência saúde, remuneração, transporte áreo e terrestre e equipe a serviço do gabinete pessoal da Presidência.

A partir de agora, o Senado vai investigar se houve indícios de crime responsabilidade para o julgamento definitivo, em data ainda indefinida, mas possivelmente em setembro, que será presidido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski. Para que haja o afastamento definitivo de Dilma, serão necessários os votos favoráveis de dois terços (54) dos 81 senadores.