Assine Já
terça, 22 de junho de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
16ºmin
Alerj2
Alerj3
TEMPO REAL Confirmados: 43349 Óbitos: 1676
Confirmados Óbitos
Araruama 10701 336
Armação dos Búzios 5211 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11551 622
Iguaba Grande 4461 107
São Pedro da Aldeia 5895 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
Política

Para fortalecer base, PSDB estadual deve lançar pré-candidato a prefeito em Cabo Frio

Tucanos querem voar alto

03 setembro 2015 - 10h01

RODRIGO BRANCO

 

Disposto a acabar com a he­gemonia petista na Presidência da República nas eleições de 2018, o PSDB está olhando para as suas bases e o fato pode ter influência direta no quadro su­cessório cabofriense no próxi­mo ano. Em reunião realizada ontem, na Cinelândia, no centro do Rio, com a presença do pre­sidente estadual da legenda, o deputado federal Otávio Leite, ficou praticamente definido que o partido lançará candidatura própria na cidade para a disputa, daqui a 13 meses, e neste caso, o nome natural para concorrer ao pleito é o do atual vice-prefeito Silas Bento.

    

A intenção dos caciques tu­canos é fortalecer a base da le­genda no interior do Estado a fim de potencializar o discurso antipetista, já consolidado na capital e na Região Metropoli­tana, por conta dos desdobra­mentos da Operação Lava Jato. Nas eleições de 2014, a falta de articulação política fora dos grandes centros prejudicou a candidatura do senador minei­ro Aécio Neves na disputa com Dilma Rousseff (PT) em áreas de grande abrangência dos pro­gramas sociais do Governo Fe­deral, como o ‘Bolsa Família’ e o ‘Minha Casa, Minha Vida’.

Outro fator é a tentativa da cú­pula tucana de tomar as rédeas do processo nas eleições presi­denciais de 2018, seja o can­didato Aécio, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin ou o senador pelo mesmo estado, José Serra. No ano passado, esse papel ficou com o grupo ligado ao presidente da Assembleia Le­gislativa, Jorge Picciani, o que desencadeou o chamado movi­mento ‘Aezão’, de apoio ao mi­neiro e ao atual governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta quinta-feira (3)