Assine Já
domingo, 26 de setembro de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 51256 Óbitos: 2089
Confirmados Óbitos
Araruama 12211 437
Armação dos Búzios 6305 64
Arraial do Cabo 1689 90
Cabo Frio 14244 839
Iguaba Grande 5384 138
São Pedro da Aldeia 6892 286
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
Câmara

Nuvens carregadas sobre a Câmara Municipal de Armação dos Búzios

Presidência vaga e condenação do TCE tumultuam fim de ano legislativo

27 outubro 2015 - 09h24Por Rodrigo Branco

Às vésperas do aniversário de 20 anos da emancipação político-administrativa de Armação dos Búzios de Cabo Frio, comemo­rado no próximo dia 12, é pos­sível dizer que a Câmara Muni­cipal passa pelo que a astrologia chama de ‘inferno astral’.

A Casa Legislativa vive dias de indefinição desde que a Jus­tiça afastou há 12 dias o anti­go presidente Henrique Gomes (PP), sob acusação de irregula­ridades durante a gestão do ex-prefeito Mirinho Braga (PDT), do qual foi secretário. Não bas­tasse essa situação, cinco dos nove atuais vereadores terão que ressarcir os cofres municipais por terem recebido vencimentos a mais na legislatura anterior, re­ferente ao exercício de 2012.

De acordo com o Tribunal de Contas do Estado, Messias Carvalho (PDT), Joice Costa (PSDB), Lorram Silveira (sem partido), Felipe Lopes (PDT), Leandro Pereira (PSDB) e Ge­nílson Pina (PSC) terão que devolver ao município, juntos, o equivalente a R$ 89.306,40, em valores atualizados de 2015 da Ufir. Os parlamentares che­garam a recorrer, sem sucesso, do processo aberto pelo TCE-RJ em 2013. Eles respondem soli­dariamente ao então presidente da Casa, João Carrilho que, na condição de ordenador de des­pesas da Câmara, foi respon­sabilizado. No total, incluindo o próprio Carrilho, Evandro da Costa e Valmir Carvalho, a de­volução chega a R$ 133.959,59.

Segundo o TCE-RJ, a Câmara de Búzios infringiu a legislação que estabelece que o subsídios de vereadores esteja limitado a 30% dos deputados estaduais, o que não teria acontecido. A rela­tora do Tribunal, Mariana Wille­man, confirmou a decisão de não acolher a defesa dos vereadores.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta terça-feira (27)