Assine Já
segunda, 28 de setembro de 2020
Região dos Lagos
35ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 8330 Óbitos: 430
Confirmados Óbitos
Araruama 1625 102
Armação dos Búzios 491 10
Arraial do Cabo 252 15
Cabo Frio 2757 145
Iguaba Grande 684 36
São Pedro da Aldeia 1341 54
Saquarema 1180 68
Últimas notícias sobre a COVID-19
empréstimo

Novela do empréstimo deve ter capítulo final nesta quinta (2)

Comissão de Constituição e Justiça se reúne na manhã desta quarta (1)

01 junho 2016 - 10h31Por Rodrigo Branco
Novela do empréstimo deve ter capítulo final nesta quinta (2)

MARCAÇÃO CERRADA – Servidores da Educação mais uma vez lotaram o plenário (Alcineu Ribeiro)

Desta vez não houve surpresas. Mas a falta de novidades está com os dias contados. Se nesta terça (31), como estava previsto, constaram na pauta apenas dois projetos de lei e uma indicação, segundo informações nos bastidores da Câmara de Cabo Frio, a aguardada votação do empréstimo de até R$ 200 milhões pedido pela prefeitura não passa desta quinta (2).

O principal motivo para a pressa é que relógio, ou melhor, a legislação eleitoral, joga contra o governo. O prazo para concluir a operação de crédito termina amanhã, a exatos quatro meses do primeiro turno das eleições.

Enquanto isso, a mensagem do prefeito Alair Corrêa (PP) segue estacionada na Comissão de Constituição de Justiça. O prazo para a elaboração de um parecer expirou na última sexta (27). De acordo com a assessoria da Câmara, a comissão se reúne na manhã de hoje para uma definição. Procurado, o presidente da CCJ, Paulo Henrique Corrêa (PP) não retornou as mensagens da reportagem.

Conforme a Folha publicou há duas semanas, a tendência é que a matéria seja reprovada, caso o artigo 4, que dá como garantia a arrecadação própria do município, não seja retirado. como garantia da operação.

Para o líder da oposição Aquiles Barreto, do Solidariedade, o governo vai tentar empurrar o empréstimo ‘goela abaixo’ dos vereadores, mas ele acredita que ele será barrado no plenário.

– Eu acredito que o governo vai para o tudo ou nada. Já passaram todos os prazos, a comissão vai fazer essa reunião. Acredito que vão mobilizar o pessoal deles, colocar polícia na Câmara e fazer uma guerra na quinta – afirma o vereador.

Conforme a Folha publicou na edição de ontem, na falta de um relatório da CCJ, a tendência é que seja elaborado um parecer conjunto de todas as comissões da Câmara para votação do assunto em regime de urgência.

Para que isso aconteça, o pedido deve ser protocolado com a assinatura de um terço (seis) votos dos vereadores, margem mais tranquila para o governo.