Assine Já
terça, 01 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12398 Óbitos: 542
Confirmados Óbitos
Araruama 2426 118
Armação dos Búzios 1201 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3809 182
Iguaba Grande 1129 40
São Pedro da Aldeia 1874 76
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
MUDANÇA DE GESTÃO

Ministério Público recomenda medidas para transição de governo em Búzios, Cabo Frio e Arraial

É recomendado que os prefeitos desses municípios instituam, em cinco dias úteis, equipe mista de transição de governo

19 novembro 2020 - 13h52Por Redação

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Cabo Frio, expediu recomendação aos atuais prefeitos e aos prefeitos eleitos de Armação dos Búzios, Cabo Frio e Arraial do Cabo para que adotem medidas para uma eficiente transição de governo.

É recomendado que os prefeitos desses municípios instituam, em cinco dias úteis, equipe mista de transição de governo, constituída preferencialmente por servidores efetivos das áreas jurídica, contábil, financeira e de controle interno, além de representantes, em número paritário, indicados pelo prefeito eleito, com a finalidade de fornecer ao novo gestor os dados administrativos e financeiros do Município.  Já aos prefeitos eleitos é recomendado, entre outras medidas, que indiquem os membros para composição da equipe mista de transição de governo e que observem diversas regras da administração pública.

O MPRJ indica que sejam designadas instalações físicas adequadas para acomodar a equipe de transição, de modo que possa desenvolver plenamente seus trabalho. Ressalta também que sejam atendidas todas as demandas oriundas da transição. A recomendação lista uma série de documentos e informações que devem ser fornecidas pelos atuais prefeitos logo na primeira reunião, nos âmbitos: documental e jurídico; contábil e financeiro; de recursos humanos; patrimonial; de compras e contratos; dos convênios; dos fundos e conselhos; e da transparência.

Para expedir a recomendação, o MPRJ leva em consideração que a proximidade do final da gestão assinala aos atuais prefeitos e aos eleitos, bem como aos servidores municipais, o dever de assegurarem a continuidade dos atos da Administração Pública, em especial a permanência dos serviços essenciais prestados à população. Cita também que a indevida descontinuidade de serviços públicos ao final dos mandatos, além de prejuízo imediato à coletividade, costuma dar ensejo a contratações diretas e indevidas.  

O MPRJ considera que a formação de equipe de transição para inteirar os futuros gestores acerca do funcionamento dos órgãos dos municípios e ter acesso às informações sobre as contas públicas, programas e projetos do governo municipal pode prevenir o surgimento de um cenário de descontinuidade administrativa e suas consequências. Por fim, alerta que a ocorrência de descontinuidade de serviços públicos essenciais e o extravio de documentos decorrentes da não adoção das medidas de transição pode ensejar a responsabilização dos gestores.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.