Assine Já
quarta, 23 de junho de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Alerj2
Alerj3
TEMPO REAL Confirmados: 43614 Óbitos: 1679
Confirmados Óbitos
Araruama 10812 339
Armação dos Búzios 5233 57
Arraial do Cabo 1501 83
Cabo Frio 11637 622
Iguaba Grande 4486 107
São Pedro da Aldeia 5916 260
Saquarema 4029 211
Últimas notícias sobre a COVID-19
Política

“Minha hora de tribuna vai chegar”

Jefferson Vidal (PSC) é o primeiro vereador entrevistado para série especial da Folha

07 julho 2015 - 10h25
“Minha hora de tribuna vai chegar”

RODRIGO BRANCO

A partir de hoje, a Folha começa uma série de entrevistas com os vereadores de Cabo Frio e o primeiro a figurar na seção ‘Na Tribuna’ é um estreante na Câmara, que se tem atuação discreta em plenário, garante ‘trabalhar muito’ nos bastidores e diz que prefere que seja desta forma. O presidente municipal do PSC, Jefferson Vidal, 40, fala dos planos de expansão do partido e diz ser fiel ao prefeito Alair Corrêa (PP). Apesar da relação não ser, admite, um ‘mar de rosas’.

– Se eu disser que estou no auge do relacionamento com o prefeito, estou mentindo. Mas me considero da base aliada e acho que o prefeito pensa da mesma forma – afirma.

Folha dos Lagos – Seu partido tem ganhado mais relevância em nível nacional e estadual, chegando a ter candidatura própria à Presidência (Everaldo ficou em quinto no 1º turno, com 780.513 votos). Como a sigla tem se preparado no município?
Jefferson Vidal –
Em Cabo Frio, o PSC sempre teve tradição de fazer dois, três vereadores. Agora estamos montando nominata para fazer três e possivelmente um quatro. Nunca tivermos chances tão reais para isso. Política é matemática.

Folha – Como o partido tem trabalhado para isso?
Jefferson – Temos nos reunido todos os meses. Tem partido com apenas cinco, sete candidatos e nós estamos com um número entre 42 e 50, além de 29 novos filiados. Estamos bem consolidados pela história do partido em Cabo Frio. Além disso, pela primeira vez, a Executiva não tem parente ou cabo eleitoral meu. São nomes de expressão, que na eleição fizeram 800, 1.200 votos. Estamos consolidados e neutros, sem Marquinho ou Alair Corrêa.

*Leia matéria completa, da primeira de dezessete entrevistas, na edição impressa desta terça na Folha.