Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
marquinho

Marquinho é julgado no STF nesta terça

Processo de trata de suposta compra de votas na campanha de 2008

31 maio 2017 - 14h52
Marquinho é julgado no STF nesta terça

O prefeito de Cabo Frio, Marquinho Mendes (PMDB), pode ser julgado por suposta compra de votos em 2008 no Supremo Tribunal Federal (STF), na tarde desta quarta-feira (31). O processo discute o alcance do foro privilegiado por prerrogativa de função. De acordo com o despacho do relator, o crime teria sido cometido durante a campanha para as eleições municipais.

A ação penal 937 está prevista na pauta. Os advogados do prefeito já estão no plenário do STF.

Entenda - Como Marcos Mendes foi eleito prefeito, o caso começou a ser julgado no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, onde a denúncia foi recebida em 2013. Com o fim do mandato, o caso foi encaminhado à primeira instância da Justiça Eleitoral. Mas, em 2015, como era o primeiro suplente do partido para a Câmara dos Deputados e diante do afastamento de titulares, passou a exercer o mandato de deputado federal, levando à remessa dos autos ao STF. Como foi eleito novamente prefeito de Cabo Frio, em 2016, renunciou ao mandato de deputado federal quando a ação penal já estava liberada para ser julgada pela Primeira Turma do STF. Com as mudanças de foro para julgar o processo contra Marcos Mendes e o risco de prescrição da pena, o relator decidiu remeter uma questão de ordem ao Plenário sobre a possibilidade de se restringir a adoção do foro especial por prerrogativa de função aos crimes cometidos em razão do ofício e que digam respeito estritamente ao desempenho daquele cargo.