Assine Já
sexta, 07 de agosto de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
14ºmin
Alerj
Alerj
TEMPO REAL Confirmados: 4771 Óbitos: 282
Confirmados Óbitos
Araruama 820 56
Armação dos Búzios 357 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1563 93
Iguaba Grande 334 23
São Pedro da Aldeia 744 39
Saquarema 833 50
Últimas notícias sobre a COVID-19
Deputado

Marquinho diz que renúncia de Alair Corrêa seria um ‘ótimo presente’

Deputado polemiza e afirma que não vê saída para crise municipal a curto prazo

17 dezembro 2015 - 09h54

O deputado federal Marquinho Mendes (PMDB) não repete lite­ralmente a fala do personagem capitão Nascimento no filme ‘Tropa de Elite’ para avaliar o go­verno de Alair Francisco Corrêa (PP) em Cabo Frio, mas é prati­camente isso, ao comentar a atual administração municipal.

– Pede pra sair, não. Alair já deveria ter pedido para sair há muito tempo – disse o deputado, acrescentando que o município sofrerá ainda mais em 2016.

– Não vamos ter alteração no quadro que hoje temos em Cabo Frio. Aliás, um quadro catastrófi­co, que, no entanto, não é por fal­ta de recursos, porque o prefeito Alair está falando em orçamento de mais de R$ 800 milhões para o ano que vem – avalia.

Como de costume, procurado pela redação da Folha dos La­gos, o prefeito Alair Corrêa não atenteu as ligações. Ele recente­mente atacou o peemedebista e também o deputado estadual Ja­nio Mendes (PDT), culpando-os pelos problemas na administra­ção municipal.

Ao contrário do que acontece em Cabo Frio, Marquinho Men­des avalia que o país, gradativa­mente, vai deixar a crise para trás a partir do momento que “o Con­gresso tiver tudo definido sobre o impeachment e, também, sobre o ajuste fiscal”.

Marquinho, apesar do bom humor, ainda guarda mágoas de Alair Corrêa de quando governou a cidade pela última vez, de 2009 a 2012.

– Passei quatro anos sofrendo perseguição diária do atual pre­feito, que tentava assumir o man­dato por fórmulas alternativas (processos judiciais), querendo sobrepor a vontade do povo de­monstrada através do voto – dis­para o parlamentar.

 

*Leia a matéria completa na edição impressa desta quinta-feira (17)