Assine Já
terça, 07 de dezembro de 2021
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53752 Óbitos: 2196
Confirmados Óbitos
Araruama 12500 448
Armação dos Búzios 6589 73
Arraial do Cabo 1755 93
Cabo Frio 15618 902
Iguaba Grande 5581 147
São Pedro da Aldeia 7054 290
Saquarema 4655 243
Últimas notícias sobre a COVID-19
ELEIÇÕES 2020

Marcelo Magno: "Tenho o sonho de ver uma cidade mais segura, com saúde e educação"

Folha realiza bateria de entrevistas dos candidatos às eleições majoritárias de Arraial do Cabo

30 outubro 2020 - 10h00Por Julian Viana

Marcelo Magno, do Solidariedade, diz em entrevista à Folha dos Lagos que, se eleito prefeito de Arraial do Cabo, irá levantar a cidade pelo que ela representa e merece. “O legado que quero deixar é de um gestor que seja reconhecido como alguém que fez o melhor por sua cidade, seus moradores e visitantes”. O candidato tem 46 anos e é formado em administração de empresas. Confira a entrevista na íntegra.

Folha dos Lagos – Por que deseja ser Prefeito? Qual legado quer deixar para a cidade?

Marcelo Magno – Como morador de Arraial do Cabo, nascido e criado aqui, tenho o sonho de ver uma cidade mais segura, com saúde e educação, além dos demais serviços públicos funcionando corretamente. Vou levantar essa cidade pelo que ela representa e merece como uma das cidades mais antigas do Brasil e rica em história.
O legado que quero deixar é de um gestor que seja reconhecido como alguém que fez o melhor por sua cidade, seus moradores e visitantes.  

Folha dos Lagos – Como retomar o desenvolvimento, gerando emprego e renda, após um cenário de pandemia?

Marcelo Magno –
 A retomada do desenvolvimento é um processo complexo e gradativo. Precisamos incentivar a mola propulsora do município que é o Turismo. Esse retorno não será da forma que imaginamos em um cenário anterior à pandemia. Porém, estamos nos preparando para isso. Para tanto, vamos fomentar a atividade turística com mais organização, com foco em um trânsito mais organizado para melhorar a mobilidade, com sinalização viária e gestão junto à Guarda Municipal para melhor atuação no trânsito.

Folha dos Lagos – Os municípios da região tiveram índice baixo no Ideb. Como mudar esse cenário? Quais seus planos para a Educação

Marcelo Magno – É preciso pensar a Educação com olhar no futuro. Nossas crianças precisam ter uma educação de melhor qualidade e os professores com mais qualificação e valorização dos profissionais por meio de uma formação continuada, com cursos de capacitação, por exemplo. Temos que pagar certo e em dia, mas precisamos valorizar por meio de capacitação. Precisamos mudar a metodologia de aprovação automática que hoje é feita de forma equivocada na nossa opinião. Isso faz uma maquiagem nos verdadeiros índices do IDEB no município. Uma de nossas principais metas é criar a Casa da Educação, como forma de proporcionar um espaço voltado para os professores e o desenvolvimento profissional deles.
Nossos alunos também precisam ser melhor preparados para um futuro que terá mais oportunidades. Uma educação de base é importante para jovens mais qualificados no futuro.

Folha dos Lagos – Quais as principais propostas para a Saúde?

Marcelo Magno –  A Saúde é para todos. Um direito de toda população e de quem visita nosso município. Precisamos melhorar o atendimento no Hospital e investirmos nas unidades que ficam nos distritos, que são os mais afetados com a falta de médicos e exames. Precisamos hoje do básico que não temos, como remédios, médicos, etc.

Folha dos Lagos – Quais as principais políticas que serão adotadas para o Turismo?

Marcelo Magno –
O Turismo é nossa vocação primeira. Por isso precisamos fomentar os eventos, com um calendário anual e valorização da cultura local. Assim, vamos fazer com que os turistas e visitantes tenham desejo de retornar à nossa cidade, além de divulgar nossas belezas e hospitalidade. A mobilidade é algo que temos que evoluir bastante para alavancar o acesso dos turistas. Além disso é preciso reunir todos os envolvidos com a economia de Arraial para uma conversa franca a fim de melhorar a convivência entre pescadores, barqueiros, donos de pousadas e afins. Cada grupo específico estará sendo ouvido e juntos vamos buscar soluções para a cidade. O Turismo precisa evoluir e buscar ser atrativo para que os visitantes retornem.

Folha dos Lagos – O que o candidato pensa em relação a políticas afirmativas para mulheres, negros e LGBTs?

Marcelo Magno –
Vamos ouvir a todos. Nosso governo não fará distinção e teremos o gabinete aberto para políticas de inclusão e promoção de ações que dignifiquem a todos.

Folha dos Lagos – Quais as principais propostas para o Esporte?

Marcelo Magno – Vamos investir em esportes náuticos, uma vez que nossa cidade é presenteada por Deus por uma Lagoa fantástica e o mar também. Nossa meta é criar escolinhas para que tenhamos a observação de possíveis destaques. Assim poderemos incentivá-los por meio de uma bolsa esporte. Já tivemos campeonatos mundiais de kitesurf aqui em Arraial e por falta de apoio não existem mais. Vamos firmar parcerias para que campeonatos assim voltem a acontecer. Queremos incentivar também o paraesporte aqui em Arraial, algo que é voltado para as pessoas com deficiência. Um público que normalmente é deixado em segundo plano pelos governantes. Em nossa gestão, vamos ter uma política pública voltada para essas pessoas que contribuem para a sociedade, mas que não tem o retorno dos entes públicos.

Folha dos Lagos – Quais as principais propostas para a Cultura?

Marcelo Magno – Nosso objetivo é incentivar ao máximo a divulgação e valorização da cultura cabista. Para isso vamos divulgar de forma consistente nossas tradições. Precisamos evitar que nossa cultura se perca com os mais idosos.  

Folha dos Lagos – Quais os projetos do candidato para qualificar e ampliar a atuação da Guarda Municipal na Segurança Pública?

Marcelo Magno –  Vamos valorizar nossa Guarda Municipal, com uma base específica para ela. Também buscaremos implantar uma central de monitoramento que possa ajudar no trabalho de segurança pública e auxiliar no trânsito. Câmeras de observação na cidade estão em nossa proposta de trabalho, além da busca de recursos para melhor equipar a GM.

Folha dos Lagos – Quais as prioridades em relação à infra-estrutura da cidade?

Marcelo Magno –
Além de cuidar da área central, vamos ter um olhar diferenciado para os nossos distritos. Falta praticamente tudo lá. Um abandono total do último governo. Vamos dotar de infra-estrutura esses locais, inclusive buscando convênio com o Estado do Rio para a manutenção da estrada que é de jurisdição do DER.

Folha dos Lagos – Quais as principais políticas que serão adotadas em relação ao Meio Ambiente? Especificamente sobre a Lagoa de Araruama, quais as ações viáveis para revitalização da lagoa?

Marcelo Magno –  Minha parte vou fazer. Mas precisamos conversar e buscar integração com os outros prefeitos no entorno. A Lagoa é uma área maravilhosa. Precisamos cobrar da Prolagos que faça a sua parte na questão do saneamento. Vamos fiscalizar e buscar soluções porque a Lagoa sobreviva com toda sua imponência.

Folha dos Lagos – De que maneira o município pode ser mais independente dos repasses dos royalties? Como enxerga um cenário caso o regime de partilha dos royalties seja alterado no STF?

Marcelo Magno –
 Não vamos nos antecipar a qualquer possibilidade futura de redistribuição até porque isso ainda não é concreto. O que precisamos é aproveitar os royalties e nos prepararmos para quando esses recursos finitos acabarem. Vamos investir pesado no Turismo, uma vez que entendemos que essa é nossa principal vocação econômica.

Folha dos Lagos – Quais os planos para a operação do Porto do Forno?

Marcelo Magno –
Hoje, o Porto do Forno está totalmente inoperante. Quando ele estava com suas licenças em dia, havia movimentação local de sal e malte, troca de turma, rancho. Além disso, o porto dava todo apoio à parte offshore. Tudo isso era para estar acontecendo, mas as licenças não foram renovadas por falta de uma gestão. O que precisamos é levantar as pendências e voltar a funcionar como sempre foi, acertando a situação dos trabalhadores e retomar.


 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.