Assine Já
quinta, 13 de maio de 2021
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 37918 Óbitos: 1447
Confirmados Óbitos
Araruama 9612 300
Armação dos Búzios 4692 57
Arraial do Cabo 1317 69
Cabo Frio 10088 529
Iguaba Grande 3759 93
São Pedro da Aldeia 5248 224
Saquarema 3202 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
loa

LOA pode não ser votada até o fim do ano

Lei Orçamentária Anual de 2017 não é definida pela Câmara Municipal

17 dezembro 2016 - 11h03Por Rodrigo Branco
LOA pode não ser votada até o fim do ano

 

 Não é só para o Poder Execu­tivo que a folhinha do calendário não será virada para 2017 quan­do os fogos começarem a estou­rar nos céus de Cabo Frio nos primeiros minutos do novo ano. Mesmo renovada na sua maioria (serão dez novos vereadores), a Câmara Municipal deverá ficar às voltas com as pendências dei­xadas pela atual legislatura que está prestes a se encerrar.

O caso mais emblemático é o da Lei Orçamentária Anu­al (LOA) do ano que vem que se arrasta há praticamente dois meses nas comissões da Casa, sem ser votada. Atualmente, o documento encontra-se na Co­missão de Finanças, Orçamento e Alienação da Casa para aná­lise e emendas, mas o prazo de 15 dias para apreciação já es­tourou.

Com vários vereadores de saída, o esforço para concluir o trabalho tem sido mínimo. An­teontem, por exemplo, a única atividade no plenário foi a entre­ga de duas moções de aplausos. Para o atual líder da oposição, Aquiles Barreto (SD), que é pré-candidato à Presidência da Câmara e, a partir de janeiro será um dos principais nomes de apoio ao governo, a LOA não será mais votada este ano.

A atual legislatura chega ao fim sem o planejamento futu­ro devido a vários problemas. A gente deveria ter feito o dever de casa. Mas não acredito que tenha havido má vontade política da Mesa e sim falta de zelo com a coisa pública. A Presidência de­veria ter convocado as comissões para definir essas questões com antecedência. Nisso a Presidên­cia deixou a desejar – disse, divi­dindo as responsabilidades.

Para Rafael Peçanha (PDT), que ocupará uma cadeira na Câ­mara a partir do ano que vem, cabe aos atuais vereadores vota­rem a previsão de receitas e des­pesas nas semanas de mandato que lhes restam. Ele lembra que uma resolução da época em que o atual vice-prefeito Silas Bento presidia a Casa alterou o Regi­mento para que o orçamento seja votado até o dia 13 de dezembro do ano anterior.

–Mesmo que fora da legalida­de, é importante que essa vota­ção aconteça o quanto antes. É melhor que se vote o orçamento de 2017 até o fim do ano do que deixar isso para janeiro. Faço um apelo aos atuais vereadores para que se despeçam ajudando a dar viabilidade econômica ao município – disse.

* Confira matéria completa na edição deste fim de semana da Folha dos Lagos.