Assine Já
domingo, 28 de novembro de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
20ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 53491 Óbitos: 2186
Confirmados Óbitos
Araruama 12497 447
Armação dos Búzios 6580 73
Arraial do Cabo 1754 93
Cabo Frio 15408 901
Iguaba Grande 5564 147
São Pedro da Aldeia 7047 290
Saquarema 4641 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
"RIR É UM ATO DE RESISTÊNCIA"

Lei que cria o Dia Estadual do Humor é sancionada

Data celebrada em 30 de outubro é homenagem ao ator Paulo Gustavo, morto pela Covid-19 em maio

27 outubro 2021 - 09h20Por Redação

O humorista Paulo Gustavo foi homenageado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) com a criação do Dia Estadual do Humor, a ser comemorado no dia 30 de outubro - data de aniversário do comediante. A data foi estabelecida pela Lei 9.440/21, de autoria do deputado André Ceciliano (PT), sancionada pelo governador Cláudio Castro, e publicada nesta terça-feira (26/10) no Diário Oficial do Estado.

No texto, Ceciliano lembra a frase do humorista: “Rir é um ato de resistência” e destaca que, especialmente no dia 30 de outubro, ficará banido o mau humor. O autor ressalta a empatia que fez com que Paulo Gustavo conquistasse o carinho e o respeito do público, combatendo, com sua comédia inteligente, o preconceito e a discriminação.

“Nosso objetivo é eternizá-lo no calendário oficial do Estado do Rio de Janeiro e promover uma celebração ao ato de fazer rir, reconhecendo a importância que a comédia tem na vida dos cidadãos fluminenses e a sua potência para transformar o mundo e as pessoas para melhor. Paulo conseguia, por meio do riso, levar uma mensagem de tolerância e respeito”, afirmou Ceciliano.

O ator, que morreu devido complicações da Covid-19 aos 42 anos, criou personagens que fizeram história na TV, no teatro e nos cinemas, deixando um legado incontestável para o humor nacional. “Minha Mãe é uma Peça”, obra que nasceu nos palcos e ganhou as telas de todo o Brasil, é uma história sobre as famílias, mas também uma homenagem a Niterói, cidade onde o humorista nasceu e foi criado.

Recentemente, uma das ruas de Icaraí, bairro onde morou, foi renomeada em sua homenagem. “Paulo tinha uma profunda conexão afetiva especialmente com Niterói e com o Rio, onde vivia. Essas cidades, com as peculiaridades de seus bairros e seus moradores, não eram apenas ‘cenários’ das suas obras, mas, praticamente, uma extensão de seus personagens, que incorporavam o jeito de viver, a graça e os dramas cotidianos desses lugares”, complementou.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.