Assine Já
terça, 24 de novembro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 11377 Óbitos: 530
Confirmados Óbitos
Araruama 2262 116
Armação dos Búzios 1000 16
Arraial do Cabo 364 16
Cabo Frio 3609 179
Iguaba Grande 1034 39
São Pedro da Aldeia 1693 75
Saquarema 1415 89
Últimas notícias sobre a COVID-19
janio mendes

Janio e Freixo trocam acusações por CPIs

Um acusa o outro de tentar barrar investigações sobre a Fetranspor

12 agosto 2017 - 10h12

GABRIEL TINOCO

 

Após ter retirado a assinatura da CPI dos Ônibus, na última terça-feira, o deputado estadual Janio Mendes (PDT) foi duramente criticado nas redes sociais. O pedetista cabofriense rebateu as críticas acusando o colega Marcelo Freixo (PSOL) de ter engavetado a CPI dos Incentivos Fiscais, presidida pelo próprio Freixo. No decorrer da semana, Freixo espalhou os seis nomes que desistiram da comissão que investiga a ‘Máfia dos Ônibus’ na Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro Fetranspor. E Janio foi um dos deputados listados.

– Toda a investigação está sendo feita pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, através da Lava Jato. Toda diretoria está presa e os computadores, apreendidos. Entendo que a Alerj deve aguardar as investigações para poder agir. Na assembleia, já existe uma CPI autorizada para essas investigações. É a que investiga os incentivos fiscais e tributários concedidos às empresas do Rio de Janeiro. As maiores delas são as empresas de ônibus, porque há incentivo de óleo diesel e do IPVA. Então, são as primeiras a serem investigadas. Mas não foi instalada porque o Freixo botou na gaveta e não investigou. Nós estamos na campanha ‘Desengaveta Freixo’ – ironiza Janio.

Janio alegou não estar preocupado com o seu nome exposto nas redes sociais.

– Não estou preocupado, de forma alguma, porque tenho uma conduta reta. Todo mundo em Cabo Frio me conhece e sabe da minha índole e do meu caráter. Fui o único a votar contra a concessão da Salineira por 50 anos enquanto vereador. E fui o único que foi à Justiça e derrubou a lei – completa.

Freixo se defendeu alegando que, mesmo como autor, não tem o poder de engavetamento. Ele salienta que a Mesa Diretora publicou os nomes dos deputados: André Corrêa (DEM), Edson Albertassi (PMDB) e Paulo Melo (PMDB). Todos da base do Governo. O parlamentar indicado pelo PSOL não foi incluído na comissão, o que desrespeita o regimento interno da Alerj. Ele ainda recorreu à Mesa Diretora, mas o presidente em exercício da Casa, André Ceciliano (PT), não julgou o recurso.
Freixo considerou a acusação de Janio uma tentativa de tirar os holofotes de si.

– O Janio está tocando nesse assunto só agora para poder não se explicar diante da sua atitude. Está querendo tirar o foco e, pelo jeito, não está conseguindo. O grupo de Janio Mendes, Luís Martins e Zaqueu Teixeira é da base do Sergio Cabral. Sempre defenderam os governos Cabral Pezão. Eles têm responsabilidade pelo caos que está acontecendo – dispara.

Marcelo Freixo ainda questiona a velocidade em que os seis deputados mudaram de ideia.

– Quando um deputado retira a assinatura de uma CPI, prejudica o trabalho parlamentar. Os deputados assinaram uma CPI pedindo uma investigação da Fetranspor. Depois de 24h, seis deles retiram uma assinatura. Por que decidiram no mesmo momento? Não vamos dizer que é coincidência. Retiraram para mais uma vez não investigar a Fetranspor. Isso no mesmo momento em que estão delatando deputados da assembleia. No mesmo momento que o ex-governador Sérgio Cabral é acusado de receber proprina da empresa. Há motivos de sobra para investigar. Não há outro motivo a não ser a pressão que eles sofreram para retirar. O que fizemos foi divulgar os nomes. Quem tem vida pública, tem que assumir o que faz. O Parlamento não é um clube de amigos – finalizou.