Assine Já
quinta, 21 de janeiro de 2021
Região dos Lagos
29ºmax
22ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 21341 Óbitos: 711
Confirmados Óbitos
Araruama 5363 160
Armação dos Búzios 2875 30
Arraial do Cabo 651 33
Cabo Frio 5750 231
Iguaba Grande 1988 50
São Pedro da Aldeia 3048 106
Saquarema 1666 101
Últimas notícias sobre a COVID-19
Eleições

Janela para lá de esperada

De olho em 2016, políticos aguardam aval do Congresso para mudar de partido

28 julho 2015 - 09h27

Muitas são as metáforas e comparações quando se fala nas articulações do mundo político. Se a maior parte delas faz alusão ao cerebral jogo de xadrez, mui­tas vezes os movimentos mais se assemelham a uma legítima partida de pôquer, tanto nos seus lances espetaculares como nos seus monumentais blefes.

No momento, o pano verde da mesa, ou melhor, de fundo para a discussão, são os pleitos muni­cipais do ano que vem. Com as mudanças a serem promovidas pela reforma política, incluindo as regras para coligações, tempo de TV e Fundo Partidário, ja­mais a montagem das nominatas para a disputa tiveram tanta im­portância para candidatos a re­eleição ou de primeira viagem. O grito de liberdade pode ser a ‘janela’ de 30 dias, que permite a deputados e vereadores a mu­dança de partido, sem perda do mandato. Aprovada na Câmara, a matéria ainda terá que ser vo­tada no Senado na volta do re­cesso em agosto.

Em Cabo Frio, a maior incóg­nita diz respeito à situação do vereador Paulo Henrique Corrêa. Atualmente no PR, do ex-gover­nador Anthony Garotinho e do pré-candidato a prefeito Walmir Porto, o parlamentar já teria dito que não fica na legen­da, exatamente para não ser obrigado a apoiar um adver­sário do tio, o prefeito Alair Corrêa (PP). Conversando com outros partidos, Paulo Henrique pode estar de malas prontas para o PV.

 

*Matéria completa na edição impressa desta terça-feira (28)