Assine Já
terça, 04 de agosto de 2020
Região dos Lagos
24ºmax
13ºmin
Alerj
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 4545 Óbitos: 259
Confirmados Óbitos
Araruama 718 47
Armação dos Búzios 354 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1480 86
Iguaba Grande 334 23
São Pedro da Aldeia 720 32
Saquarema 819 50
Últimas notícias sobre a COVID-19
SOB NOVA DIREÇÃO

Iranildo assume Saúde nesta quinta e espera dificuldades: "campo minado"

Novo secretário visita unidades, faz reuniões com a equipe e se diz ‘soldado pela população’

12 fevereiro 2020 - 19h02Por Rodrigo Branco

O ex-deputado estadual Iranildo Campos assume oficialmente nesta quinta-feira (13) como o quarto secretário de Saúde de Cabo Frio, em pouco mais de um ano e meio de gestão do prefeito Adriano Moreno (DEM). O PM reformado assume uma das pastas mais problemáticas do governo, com o desafio de organizá-la não apenas para o Carnaval, mas para o restante do ano.

Ainda sem ter o nome anunciado oficialmente como substituto de Carlos Ernesto Dornellas, Iranildo ocupou a agenda dos últimos dias com visitas a unidades e reuniões com a equipe para conhecer os problemas da rede. Mesmo sem estar ambientado, o novo secretário de Saúde já prevê as dificuldades.

Em rápida conversa com a reportagem, nesta quarta (12), Iranildo se valeu de metáforas com expressões militares para explicar o que espera do trabalho na secretaria e sobre como pretende agir.

– Estou andando em um ‘campo minado’, vendo onde posso pisar. Preciso saber o que está funcionando e o que não está. Minha meta não é fazer uma grande administração, mas ajudar a essa população que tanto precisa. Tem muitas coisas que não funcionam e preciso da ajuda de todos, para que me mostrem e depois possam me cobrar. Vou ser um ‘soldado’ em defesa da população – prometeu ele, que tem experiência na função em São João de Meriti, em 2001 e 2009.

Entre os principais problemas que o novo secretário vai encontrar é a falta de profissionais, sobretudo de médicos. Em novembro, a rede municipal perdeu cerca de 200 profissionais, por causa de uma determinação do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), que proíbe o acúmulo de três ou mais vínculos no serviço público. Em função dos salários em atraso, muitos preferiram trabalhar em outros municípios.

A situação levou a pedidos de demissões e faltas nos meses seguintes, levando a restrições no atendimento, conforme a Folha acompanhou de perto,  recentemente, no Hospital do Jardim Esperança e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Burle.

Polêmica das OSs – Iranildo Campos assume o cargo de secretário de Saúde em meio à polêmica da discussão sobre a possível mudança no modelo de gestão da rede municipal.Na última sessão do ano passado da Câmara, os vereadores aprovaram matéria que permite a implantação de organizações sociais (OSs) na administração da Saúde municipal.

Em entrevista na TV Litoral News, o prefeito Adriano Moreno confirmou que pretende implantar o modelo de pessoas jurídicas (PJs), como forma de reduzir a folha de pagamento no setor. 

– Aprovamos e sancionamentos essa lei. Em seguida, faremos um processo licitatório dentro da legalidade, com a maior transparência. São R$ 6 milhões que gastamos só com médicos contratados. Nossa intenção é enxugar essa máquina, terceirizando o serviço – disse Adriano. 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.