Assine Já
terça, 01 de dezembro de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12398 Óbitos: 542
Confirmados Óbitos
Araruama 2426 118
Armação dos Búzios 1201 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3809 182
Iguaba Grande 1129 40
São Pedro da Aldeia 1874 76
Saquarema 1532 94
Últimas notícias sobre a COVID-19
ELEIÇÕES 2020

Henrique Gomes: "Quero ser lembrado como o prefeito que levou Búzios a uma nova era"

Candidato do Patriota é o entrevistado da Folha na sabatina com os prefeitáveis do balneário

24 outubro 2020 - 16h00Por Rodrigo Cabral e Rodrigo Branco

A Folha dos Lagos prossegue neste sábado (24) com a série de entrevistas com os candidatos a prefeito de Armação dos Búzios, que traz o postulante pelo Patriota, Carlos Henriques Gomes Pinto, conhecido na vida pública como Henrique Gomes. O atual vice-prefeito do município tem 61 anos e tenta se eleger para o cargo de chefe do Executivo pela primeira vez. Nos últimos meses, assumiu a cadeira de prefeito por várias oportunidades, a última delas na semana passada, por conta dos sucessivos afastamentos do atual mandatário André Granado. O companheiro de chapa é Arildo da Conceição Costa, o Arildo Beca, de 48 anos. 

Folha dos Lagos – Por que deseja ser prefeito? Qual legado quer deixar para a cidade?

Henrique Gomes – Quero que as pessoas lembram de Henrique Gomes como o prefeito que deixou um legado para a cidade, que fez de Búzios uma nova era, uma transformação, não somente estrutural, mas na forma de tratar seus munícipes. 

Folha – Como retomar o desenvolvimento, gerando emprego e renda, após um cenário de pandemia?

Henrique – A Prefeitura não pode mais ser tratada como cabide de emprego. É preciso parceria com as empresas privadas, desburocratizando suas aberturas, incentivando os empresários e criando incentivo fiscal para o desenvolvimento e criação de emprego e renda. Em contrapartida, que a mão de obra seja da cidade. Dessa forma, vamos gerar emprego para moradores e melhorarmos também a economia local, fazendo o dinheiro girar aqui. 

Folha – Os municípios da região tiveram índice baixo no Ideb. Como mudar esse cenário e quais seus planos para a Educação?

Henrique – Búzios não abriu nenhuma escola nos últimos oito anos. Com isso, temos salas de aulas lotadas e professores sobrecarregados. É preciso investir nos professores com novas ferramentas, reformar todas as unidades escolares para gerar mais conforto aos alunos, de forma que eles sintam prazer em ir para a escola e lá consigam, de fato, aprender. Vamos implantar o monitoramento de entrada e saída dos alunos nas escolas, onde os pais vão saber em tempo real sobre entrada e saída dos alunos.

Folha – Quais suas principais propostas para a Saúde?

Henrique – Humanização, para mim, é a palavra chave. Sou paciente do SUS e uma das maiores prioridade na minha gestão é tratar o paciente de forma humanizada, atendendo suas demandas, assim como fizemos quando estivemos à frente da Prefeitura no passado. Descentralizando todas as autorizações de exames para ser autorizado diretamente nos postos, não tendo mais que os pacientes irem até a secretária para isso. Criaremos a UTI e também UTI Neonatal no município. Com isso, não ficaremos dependendo do sistema estadual de regulação de vagas. 

Folha – Quais suas principais políticas que serão adotadas para o Turismo?

Henrique – O Turismo é a mola mestra da economia do nosso município, e tem que ser tratada como uma empresa de Turismo. Vamos criar a Búzios Tour, uma empresa para fomentar o turismo na nossa cidade.

Folha – O que o candidato pensa em relação a políticas afirmativas para mulheres, negros e LGBTs?

Henrique – Meu entendimento e que as políticas devem ser iguais para todos, sem distinção e descriminação, todos somam para o crescimento da cidade. 

Folha – Quais suas principais propostas para o Esporte?

Henrique – Esporte é saúde, esporte é vida. Quando estivemos à frente da Prefeitura, reativamos as escolinhas de futebol, natação, vôlei, e ampliamos o funcional para adultos e estávamos buscando atender também os praticantes de esportes náuticos, entre outras modalidades. Meu sonho é ver Búzios sendo escolhida como a principal cidade para práticas de esportes.

Folha – Quais suas principais propostas para a Cultura?

Henrique – A Cultura precisa ser resgatada, precisa ter seu espaço. Búzios é uma cidade cultural e muitos não conhecem 10% da nossa cultura nativa. Vamos explorar a cultura da cidade para os turistas, moradores, alunos. Para isso, o ponto principal é dar independência para a pasta, criando a Secretária Municipal de Cultura, com o orçamento exclusivo para atividades e afins, sem falar que cultura também e geração de emprego e renda.

Folha – Quais os projetos do candidato para qualificar e ampliar a atuação da Guarda Municipal na Segurança Pública?

Henrique – Está aí uma categoria que, como eles mesmos sabem, eu tenho um enorme carinho. A Guarda em Búzios será a nossa principal força de segurança. Vamos fazer valer a lei 13.022, equipando e treinando nossos agentes para fazer de Búzios a cidade mais segura do país. A GCM de Búzios será uma grande referência, não me conformo em guardas ficarem apenas vigiando patrimônio ou atravessando pedestre em faixa. Vamos avançar muito com a ajuda desses guerreiros e também fazer valer o direito deles garantidos por lei. Vamos incentivar diversos cursos para os agentes, principalmente de idiomas, por entender que eles são os primeiros a terem contato com os turistas na cidade.

Folha – Quais as prioridades em relação à infraestrutura da cidade?

Henrique – Búzios cresceu muito, mas deixaram a infraestrutura da cidade pra trás. É preciso ir em cada canto da cidade e dar dignidade para que as pessoas saírem de suas casas sem afundar o pé na lama. Não adianta enfeitar as vias principais e esquecer os bairros afastados, lá está o nosso povo. Minha meta é que, pelo menos, 85% da cidade sejam saneados e calçados nos três primeiros anos de governo.

Folha – Quais as principais políticas que serão adotadas em relação ao Meio Ambiente? 

Henrique – Búzios hoje tem um problema seríssimo com relação ao saneamento. Nossa rede funciona em tempo seco; toda vez que cai um temporal, os esgoto vai direto para as praias. Temos quatro pontos críticos que nos envergonham, são eles: Praia dos Ossos, Centro de Búzios, Porto da Barra e Rancho Mutã. Podemos usar investimentos próprios do município, como o programa de ICMS Verde, e também hoje existe uma Lei minha autoria que é uma emenda aditiva na Lei Orgânica de N12 de 27de agosto de 2008, onde o município destinará 5% dos royalties do petróleo para o Fundo Municipal de Meio Ambiente. Quando estava prefeito, assinei um TAC com MP para devolver para o Fundo aquilo que é por direito, através dessa lei. Segundo informações, o atual prefeito deu sequência, e acredito que até o atual período devemos ter R$ 3 milhões a R$ 4 milhões para serem investidos no sistema de saneamento de nossa cidade. 

Folha – De que maneira o município pode ser mais independente dos repasses dos royalties? Como enxerga um cenário caso o regime de partilha dos royalties seja alterado no STF?

Henrique – Esse assunto já era uma preocupação minha quando assumi pelo afastamento do atual prefeito. É algo que devemos nos preocupar e começar a ter uma mentalidade diferente. Elaborar planos para não ficar dependente dos royalties do petróleo. Um exemplo é fomentar a receita própria e, o ato principal, existem inúmeros comércios querendo se legalizar e o atual governo não tem uma proposta para os mesmos, por se garantir nas verbas dos royalties.

(*) O entrevistado desta segunda-feira (26) será o candidato Comandante Serafim, do PSD.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.