Assine Já
domingo, 20 de setembro de 2020
Região dos Lagos
22ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 7728 Óbitos: 407
Confirmados Óbitos
Araruama 1514 100
Armação dos Búzios 468 10
Arraial do Cabo 215 13
Cabo Frio 2528 136
Iguaba Grande 640 34
São Pedro da Aldeia 1213 50
Saquarema 1150 64
Últimas notícias sobre a COVID-19
greve geral

Greve geral mobiliza em Cabo Frio nesta sexta-feira (30)

Professores das redes municipal e estadual aderem à paralisação nacional

30 junho 2017 - 09h57Por Redação I Foto: Denize Alvarenga (Reprodução de Facebook)
Greve geral mobiliza em Cabo Frio nesta sexta-feira (30)

Movimentos populares e centrais sindicais promovem nesta sexta-feira (30) mais uma paralisação nacional contra as reformas Trabalhista e da Previdência. A greve geral também terá impactos em Cabo Frio e nas cidades vizinhas, sobretudo nas salas de aula. O Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe) já anunciou que irá aderir ao movimento tanto na rede estadual como na municipal. Escolas como Zélio Jotha, em São Cristóvão, estão com as atividades paralisadas.

No último dia para o pagamento de vários impostos municipais, federais e estaduais, além do saque do abono PIS/Pasep 2015, as agências da Caixa Econômica Federal (CEF) de São Cristóvão, em Cabo Frio, e de São Pedro da Aldeia não abrirão as portas. Por sua vez, a agência da CEF do centro de Cabo Frio irá funcionar, mas os bancários estarão vestidos de preto em sinal de luto e protesto. Fora essas exceções, os demais bancos funcionarão normalmente.

– O Sindicato dos Bancários decidiu por não aderir à greve geral de hoje por considerar um movimento político – afirmou o diretor do sindicato, Suez Santiago.

Na Praça Porto Rocha, no Centro, está ocorrendo um ato com lideranças estudantis e alunos das redes pública e privada contra as reformas. O diretor da Federação Nacional dos Estudantes em Ensino Técnico (Fenet), Caio Sad, acha importante a movimentação.

– É fundamental ajudar a construir essa greve para lutar contra os ataques do governo Temer, que vem colocando diversos processos como a Reforma Trabalhista, a Reforma da Previdência e a Lei da Terceirização.  A gente vem construindo mobilização bem intensa nas escolas – comenta.