Assine Já
segunda, 30 de novembro de 2020
Região dos Lagos
30ºmax
20ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 12084 Óbitos: 539
Confirmados Óbitos
Araruama 2426 118
Armação dos Búzios 1132 16
Arraial do Cabo 427 16
Cabo Frio 3625 181
Iguaba Grande 1129 40
São Pedro da Aldeia 1874 76
Saquarema 1471 92
Últimas notícias sobre a COVID-19
governo

Governo de Cabo Frio corta carros alugados

Governo devolve veículos para contenção de gastos e dificulta trabalho de secretarias

18 outubro 2017 - 10h03Por Rodrigo Branco
Governo de Cabo Frio corta carros alugados

Uns com bastante, outros nem tanto. Enquanto alguns setores da administração municipal como a Saúde e a Comsercaf são contemplados com alugueis de ambulâncias e caminhões, outros acabam de ficar literalmente a pé.
Com o intuito de cortar despesas, o governo acaba de devolver veículos alugados de firmas que estavam à disposição de todas as secretarias, coordenadorias e superintendências, algumas delas absolutamente dependentes do recurso para realizar o trabalho.
Um dos casos mais emblemáticos é o da Superintendência de Defesa dos Animais, que atua no resgate de bichos em situação de rua e para apurar denúncias de maus tratos. 
Embora demonstre compreensão com o momento de dificuldade vivido pelo governo municipal, a superintendente Carol Midori admite que a perda, ainda que temporária do veículo – uma picape com caçamba própria para transporte de animais – compromete o trabalho da pasta dela.
– Acredito que terei o carro novamente, pois sem isso nosso trabalho não flui, mas desanima porque atrasa tudo, atrapalha nosso ritmo. Temos ajudado muitos animais diariamente e sem o transporte não temos mais como fazer isso da forma que era feita – lamenta Carol, que descarta a saída do governo.
O secretário de Agricultura, Gustavo Gonçalves, a quem responde a Superintendência dos Animais, também falou que o desfalque motorizado dificulta mais as coisas, mas garantiu que os serviços continuarão a ser feitos. 
– No caso do trabalho interno da secretaria, diminui um pouco o volume, mas as tarefas continuam a ser feitas. No caso da superintendência, realmente atrapalha na questão das denúncias, porque requer emergência – explica Gonçalves.
Em muitos casos, é preciso jogo de cintura e criatividade para driblar as limitações. No caso da coordenadoria de Regularização Fundiária, a solução foi apostar nas ações conjuntas com a coordenadoria de Meio Ambiente. De acordo com o secretário de Desenvolvimento da Cidade, Cláudio Bastos, a redução da frota vai durar cerca de 90 dias, mas não vai atrapalhar o trabalho de fiscalização.
– A gente está tendo que se reinventar, não dá para ficar se lamentando. Estamos usando carros próprios do Meio Ambiente e fazendo sempre que for necessário operações conjuntas com a Regularização Fundiária – explica Bastos, a quem ambas as coordenadorias são subordinadas.

 

 

* Confira matéria completa na edição desta quarta-feira (18) da Folha dos Lagos.