Assine Já
sexta, 07 de agosto de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
14ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 4771 Óbitos: 282
Confirmados Óbitos
Araruama 820 56
Armação dos Búzios 357 9
Arraial do Cabo 120 12
Cabo Frio 1563 93
Iguaba Grande 334 23
São Pedro da Aldeia 744 39
Saquarema 833 50
Últimas notícias sobre a COVID-19
Apae

Governistas querem saber sobre repasses milionários que não chegaram à Apae

Córrego Rico: novo requerimento na terça-feira (20)

16 outubro 2015 - 10h10Por Rodrigo Branco

Palco histórico de embates entre Governo e oposição, o plenário da Câmara Municipal de Cabo Frio teve um breve pe­ríodo de consenso no que diz respeito a polêmicas envolven­do a Prefeitura. O responsável pela ‘proeza’ foi o mistério en­volvendo os repasses do Poder Executivo para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) que, somente entre feve­reiro e julho deste ano, totaliza­ram R$ 3,2 milhões, segundo o Portal da Transparência.

Estampada na capa da última quinta-feira (15) da Folha, a negativa da presi­dente da Associação, Kely Soa­res, que negou o recebimento da verba, causou perplexidade e ge­rou questionamentos de vários parlamentares tanto da oposição como da situação. Até mesmo o líder do governo na Casa, Taylor Jasmin (PRB), saiu da habitual postura de blindar a Prefeitura ao se comprometer a ajudar a es­clarecer o episódio.

– Essa é uma denúncia gra­ve e independentemente de ser líder do Governo ou não, se for erro ou não, qualquer um que seja culpado tem que ser punido. É um erro grave porque além da suspeição sobre a prefeitura, tem a suspeição sobre a Apae, que não faz parte do governo, é uma entidade filantrópica que atende há muitos anos os excepcionais e seus familiares.

 Parlamentar conhecido por sua ligação com a instituição, sobretudo com o polo de Ta­moios, que ajudou a fundar, Luis Geraldo Simas (PPS) disse que não quer fazer pré-julgamentos, mas que não abre mão de inves­tigar detalhadamente a situação.

– Esse é um assunto muito sério. Vou tomar todos os tipos de satisfações que a Prefeitura possa me oferecer porque a gen­te sabe o quanto é difícil manter aquelas crianças, aqueles pro­fessores. É uma causa suprapar­tidária. Não se pode fazer políti­ca em cima disso – ressalta Luis Geraldo.

R$ 30 milhões – O líder da oposição, Aquiles Barreto (SD), pediu apuração rigorosa da situ­ação, pois, segundo ele, o Portal

 da Transparência indica que os repasses para a entidade de 2014 para cá ultrapassam a soma de R$ 30 milhões.

 

Córrego Rico

O presidente da Câmara, Marcello Corrêa (PP), confirmou durante a sessão de ontem que um novo requerimento pedindo explicações sobre os contratos da empresa Córrego Rico com a prefeitura entrará na pauta da próxima terça-feira.
Conforme a Folha já tinha antecipado, diferentemente do documento protocolado pelos vereadores Aquiles Barreto (SD) e Celso Campista (PSB), o novo requerimento, de autoria de Luis Geraldo (PPS) e Vinicius Corrêa, vice-líder do Governo na Casa e sobrinho do prefeito Alair Corrêa (PP), contempla processos não apenas desta gestão, mas das anteriores, do hoje deputado federal Marquinho Mendes (PMDB), de 2005 a 2012.
Segundo Marcello, Aquiles e Campista já tinham protocolado o novo requerimento, mas como o fizeram depois da dobradinha Luis Geraldo-Vinicius, esta última teve prioridade, segundo o Regimento Interno.

 

Leia a matéria completa na edição impressa desta sexta-feira (16)