Assine Já
sexta, 14 de maio de 2021
Região dos Lagos
24ºmax
17ºmin
Tropical
Tropical mobile
TEMPO REAL Confirmados: 38094 Óbitos: 1459
Confirmados Óbitos
Araruama 9614 300
Armação dos Búzios 4695 57
Arraial do Cabo 1317 69
Cabo Frio 10146 538
Iguaba Grande 3800 93
São Pedro da Aldeia 5248 227
Saquarema 3274 175
Últimas notícias sobre a COVID-19
Adriano Moreno

Ex-secretário de Educação rebate críticas de Adriano

Cláudio Leitão afirma que inchaço de cargos na pasta acontece agora, com reforma

23 julho 2019 - 11h54
Ex-secretário de Educação rebate críticas de Adriano

O ex-secretário de Educação de Cabo Frio, Cláudio Leitão, esteve na segunda-feira (22) na redação da Folha para responder a entrevista do prefeito Adriano Moreno publicada na semana passada. Cláudio buscou rebater os pontos da entrevista em que foi mencionado pelo prefeito.

Um dos pontos foi a afirmação de que Leitão teria sido responsável por inflar a quantidade de funcionários da Secretaria de Educação.

– O prefeito tem se revelado um mentiroso contumaz. Durante a campanha todos viram ele afirmar que a Educação seria uma das prioridades. O aumento dos servidores na educação foi para atender as necessidades das escolas. Inauguramos três escolas e três Cenapes. Esses números aos quais ele se refere são mentirosos, pois nunca tivemos menos de 6.000 servidores – argumentou.

Leitão acusou o prefeito de ter aumentado o número de cargos na Secretaria de Educação após a saída dele por objetivos políticos.

–A reforma administrativa é que aumentou o número de cargos comissionados para atender à demanda de um vereador que hoje manda e desmanda na pasta. É mais uma mentira de um cidadão que a cada dia tem menor credibilidade sobre o que promete, o que fala e realiza – disse ainda.

Cláudio Leitão deixou a Secretaria de Educação em maio, após entrar em colisão com o secretário de Fazenda, Antônio Carlos Vieira, o Cati. Após a saída, Leitão convocou uma entrevista coletiva e apontou desvio de finalidade em cerca de R$ 40 milhões da Educação.

O dinheiro da pasta teria sido usado de forma irregular em outras áreas do governo, segundo Leitão, por manobras do secretário de Fazenda e do prefeito Adriano Moreno. Ele apresentou documentação no Ministério Público com os termos da acusação.

Na entrevista publicada na semana passada, Adriano Moreno disse ser “calúnia” e “fruto de uma vaidade” por parte de Leitão. O ex-secretário chamou a declaração de “cinismo e desfaçatez”.

– Os desvios e fraudes contábeis estão provados com farta documentação entregue por mim ao MP, Gaeduc, MPF e demais instâncias. São relatórios contábeis, extratos de contas, memorandos, ofícios com confissões de dívidas, etc. Ele mesmo assinou o recebimento de vários destes ofícios que mostravam a ele os desvios, inclusive um emitido pela Secretaria de Fazenda. Nunca tive apego ao cargo ou qualquer vaidade, por isso não aceitei todos estes desmandos.

Leitão mencionou ainda uma reunião do Conselho do Fundeb em que o secretário de Fazenda admite a ausência de repasses para a Secretaria de Educação.

– Ele se tornou réu confesso. A ata da reunião com as respectivas transcrições foi entregue ao MP. O promotor do caso já pediu ao Conselho o áudio da reunião – garantiu.

Cláudio Leitão lembrou ainda da saída recente de outros quadros do governo municipal após rompimentos com o prefeito:

– Adriano e Cati, o tal supersecretário de Fazenda, se transformaram em réplicas mal acabadas de Marquinho e Alair.