Assine Já
sábado, 25 de setembro de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
17ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 51256 Óbitos: 2089
Confirmados Óbitos
Araruama 12211 437
Armação dos Búzios 6305 64
Arraial do Cabo 1689 90
Cabo Frio 14244 839
Iguaba Grande 5384 138
São Pedro da Aldeia 6892 286
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
POLÍTICA

Estado poderá ter Fundo de Proteção dos Animais

Matéria passará por primeira discussão na sessão desta terça (17) na Alerj

17 agosto 2021 - 14h00Por Redação

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro vota nesta terça-feira (17), em primeira discussão, o projeto de lei 437/19, de autoria do deputado Márcio Pacheco (PSC), que cria o Fundo Estadual de Proteção dos Animais (FEPA), com o objetivo de captar e aplicar recursos visando ao financiamento, investimento, expansão, implantação e aprimoramento das ações voltadas à proteção e bem-estar dos animais. Caso receba emendas parlamentares, o texto sairá de pauta.

O texto estabelece que os recursos do FEPA serão destinados a ações, programas e projetos que contemplem os seguintes objetivos: incentivo da posse responsável dos animais, assegurando-lhes condições dignas de vida e o cumprimento do direito ao abrigo, alimentação adequada, água potável, vacinas e espaço físico adequado ao seu deslocamento e desenvolvimento; apoio, financiamento e investimento em programas e projetos relativos ao bem-estar e proteção dos animais e controle de zoonoses; implantação e desenvolvimento de programas de controle populacional, que contemplem registro, identificação, recolhimento, manejo e destinação de cães e gatos; fiscalização e aplicação da legislação relativa à proteção e controle, bem como aquelas relativas à criação, comercialização, propriedade, posse, guarda, uso, transporte e tráfego e demais normas concernentes aos animais domésticos e domesticados; apoio a programas e projetos que visem defender, oferecer tratamento e destinação aos animais; promoção de medidas educativas e de conscientização; informação e divulgação de ações, programas, projetos, medidas preventivas e profiláticas, normas, princípios e preceitos voltados ao bem-estar animal; capacitação de agentes, funcionários e profissionais para fins de proteção da vida animal; e incentivo à adoção de animais domésticos.

Além disso, será admitida a aquisição de imóveis pelo Fundo para a implantação de projetos ligados à proteção animal, desde que compatíveis com as políticas públicas destinadas à saúde, proteção, defesa e bem-estar animal. A medida ainda determina que o Fundo será vinculado à Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade e será administrado por um Conselho Diretor, que deverá ser composto por sete membros nomeados pelo governador. A norma deverá ser regulamentada pelo Poder Executivo.

“Cuidar dos animais, além de ser uma questão humanitária, é tema de alta relevância, de saúde pública e meio ambiente. A existência de um Fundo específico para gerir os recursos desta causa já é uma reivindicação antiga em nosso Estado”, justificou o autor da proposta.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.