Assine Já
sábado, 18 de setembro de 2021
Região dos Lagos
28ºmax
19ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 50688 Óbitos: 2057
Confirmados Óbitos
Araruama 12158 430
Armação dos Búzios 6182 64
Arraial do Cabo 1680 90
Cabo Frio 14015 822
Iguaba Grande 5355 134
São Pedro da Aldeia 6830 284
Saquarema 4468 233
Últimas notícias sobre a COVID-19
Córrego Rico

Em Cabo Frio, governo blinda Córrego Rico

Vice-líder da bancada municipal volta atrás e barra requerimento

09 outubro 2015 - 09h32Por Nicia Carvalho

O palco da batalha políti­ca entre governo e oposição no qual se transformou a Câmara de Vereadores de Cabo Frio endu­receu ontem com a reprovação, por 11 votos a 4, de requeri­mento que contestava liberação da Prefeitura de aditivo de R$ 27 milhões à empresa Córrego Rico Transporte e Construção Ltda., que aluga máquinas e equipa­mentos para a administração pú­blica municipal.

O vice-líder da bancada go­vernista e sobrinho do prefeito, Vinícius Corrêa (PP), voltou atrás e barrou o envio dos con­tratos à Casa. Esta é a segunda vez este ano que um requerimen­to é vetado. Em maio, o mesmo aconteceu com documento que pedia informações sobre contra­tos com fornecedores, condições estruturais e de equipamentos, além de critérios adotados para as demissões na Saúde.

– Reafirmo minha posição uma vez que a empresa presta serviço para a Prefeitura desde 2005. Se fosse desde 2011, eu seria a favor. Meu voto é contra – declarou Vinícius.

Protagonista da votação, Vi­nícius Corrêa orientou os pares a votar contra a medida, apesar de também ter declarado em algumas ocasiões na tribuna da Casa, desde que o tema veio à baila, que seria favorável caso o período se esten­desse à última gestão. No entanto, mesmo os vereadores proponen­tes Aquiles Barreto (SD) e Celso Campista (PSB), apoiados por Adriano Moreno (PP), concor­dando com o pedido do vice-líder durante as explanações antes da votação, Vinícius não só manteve o próprio voto como fez a orientação à bancada no momento em que o governo perdia por quatro (Fer­nando do Comilão acompanhou Aquiles, Campista e Adriano) a um – o primeiro voto contrário foi do vereador Luis Geraldo (PP).

– Ninguém aqui está impedido de investigar, mas sou contra o requerimento. Peguei o processo (da Córrego), é grande, estou estu­dando e vou passar aqui tudo que observei. Se queremos a cidade bem devemos brigar por UPG, merenda – defendeu.