Assine Já
segunda, 19 de outubro de 2020
Região dos Lagos
27ºmax
17ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 9204 Óbitos: 470
Confirmados Óbitos
Araruama 1843 108
Armação dos Búzios 572 10
Arraial do Cabo 273 15
Cabo Frio 3049 166
Iguaba Grande 802 38
São Pedro da Aldeia 1427 63
Saquarema 1238 70
Últimas notícias sobre a COVID-19
Divida

Dívida ativa pode parar na Justiça

 Marquinho fala em ‘renúncia de receita’, mas Governo nega venda do débito

22 julho 2015 - 09h22

A negociação da dívida ativa da Prefeitura de Cabo Frio, em torno de R$ 500 milhões, po­derá parar na Justiça, segundo alerta feito ontem, no Blog do Cabral, pelo deputado federal Marquinho Mendes (PMDB), ex-prefeito da cidade. Segundo ele, trata-se de ‘renúncia de re­ceita’, com evidentes danos ao patrimônio financeiro do muni­cípio. O deputado também sus­tenta que “uma prefeitura com orçamento de R$ 500 milhões não necessita de terceirização desta cobrança, uma vez não caracterizar um ato emergencial do município”.

Marquinho Mendes aponta ainda outro dano da misterio­sa negociação. Para ele, essa terceirização da cobrança vai penalizar famílias pobres da ci­dade, uma vez que estarão su­jeitas ao rigor da cobrança dos terceirizados.

Mas, por enquanto, o que está possível terceirização tem de concreto mesmo só o mistério em torno do assunto. O prefeito Alair Corrêa (PP) não fala sobre o caso, ao mesmo tempo que o secretário de Fazenda, Axiles Corrêa, se silencia. Entre os vereadores da base aliada, até agora, somente Vinicius Corrêa (PP), sobrinho do prefeito e fi­lho do secretário de Fazenda, se manifestou.

 

*Matéria completa na edição impressa desta quarta-feira (22)