Assine Já
sábado, 15 de agosto de 2020
Região dos Lagos
29ºmax
18ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
TEMPO REAL Confirmados: 5271 Óbitos: 305
Confirmados Óbitos
Araruama 846 62
Armação dos Búzios 388 9
Arraial do Cabo 132 12
Cabo Frio 1751 100
Iguaba Grande 427 26
São Pedro da Aldeia 796 44
Saquarema 931 52
Últimas notícias sobre a COVID-19
Divida

Dívida ativa pode parar na Justiça

 Marquinho fala em ‘renúncia de receita’, mas Governo nega venda do débito

22 julho 2015 - 09h22

A negociação da dívida ativa da Prefeitura de Cabo Frio, em torno de R$ 500 milhões, po­derá parar na Justiça, segundo alerta feito ontem, no Blog do Cabral, pelo deputado federal Marquinho Mendes (PMDB), ex-prefeito da cidade. Segundo ele, trata-se de ‘renúncia de re­ceita’, com evidentes danos ao patrimônio financeiro do muni­cípio. O deputado também sus­tenta que “uma prefeitura com orçamento de R$ 500 milhões não necessita de terceirização desta cobrança, uma vez não caracterizar um ato emergencial do município”.

Marquinho Mendes aponta ainda outro dano da misterio­sa negociação. Para ele, essa terceirização da cobrança vai penalizar famílias pobres da ci­dade, uma vez que estarão su­jeitas ao rigor da cobrança dos terceirizados.

Mas, por enquanto, o que está possível terceirização tem de concreto mesmo só o mistério em torno do assunto. O prefeito Alair Corrêa (PP) não fala sobre o caso, ao mesmo tempo que o secretário de Fazenda, Axiles Corrêa, se silencia. Entre os vereadores da base aliada, até agora, somente Vinicius Corrêa (PP), sobrinho do prefeito e fi­lho do secretário de Fazenda, se manifestou.

 

*Matéria completa na edição impressa desta quarta-feira (22)